quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Mensagens Subliminares - Sun Microsystems

Procurando pelo logotipo do Windows, passei por esse e logo vi que tinha alguma coisa estranha nele. Pelo que parece, essa empresa é grande. Aí está o logotipo dela: 


E o pior de tudo: esse logotipo parece possuir uma mensagem subliminar: uma suástica! 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Ilusões de Ótica - De M.C. Escher e Rorik Smith

Alguns tipos de arte são feitas para enganar o nosso cérebro, para fazermos ver as coisas de um jeito totalmente diferente (e as vezes distorcido) do que é a realidade, de algumas formas as vezes psicodélicas, esse tipo de arte é denominada "Ilusão de Ótica" (ou Óptica, whatever).

Sempre curti arte, e Ilusões de Ótica são as minhas favoritas, nesse ramo, existem 2 artistas que eu gosto muito: M.C. Escher e Rorik Smith.

Vamos começar pelo M.C. Escher: Esse cara viveu de 1898 até 1972 (ou seja, 73 anos), e com 21 anos se interessou pela arquitetura, e não demorou muito até Escher ficar reconhecido, la em meados dos anos 1920 até o inicio dos anos 1930.

Além da arte, Escher também se era matemático e escreveu vários textos, veja abaixo algumas obras de M.C. Escher, e se você quiser saber mais sobre esse cara clique aqui ou aqui.









Bem, vamos agora falar de Rorik Smith: Esse cara é um artista novo, surgiu há pouco tempo por aí, cerca de alguns meses, mas só o conheci ontem, uma boa característica nas obras de Rorik Smith é a "panorâmica", fazendo verdadeiras ilusões de ótica, e por enquanto muito boas.

Da pra ver claramente como Rorik Smith foi influenciado, e muito, por M.C. Escher, mas ao mesmo tempo que é influenciado, Smith consegue criar um estilo próprio e promete ser um grande nome na arte da ilusão de óptica no futuro.

Abaixo você confere algumas obras de Rorik Smith, se você quiser saber mais sobre ele clique aqui.






quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Looper - Assassinos do Futuro - Crítica



E se em um futuro próximo as viajem no tempo fossem inventadas? Bem, você pode pensar que será algo ótimo, mas imagine se as viajens no tempo fossem consideradas perigoras e proibidas pelo governo, sendo assim usadas por criminosos e mafiosos do futuro para se livrarem de suas vítimas de um jeito mais facil, usando "cumplices" no passado? É essa a idéia proposta no filme "Looper - Assassinos do Futuro".


Kansas City, 2044. Viagens no tempo são uma realidade, mas estão apenas disponíveis no mercado negro. Seu principal cliente é a máfia, que costuma enviar ao passado pessoas que deseja que sejam eliminadas, já que é bastante complicado se livrar dos corpos no futuro. Os responsáveis por estes assassinatos são os loopers, organização a qual Joe (Joseph Gordon-Levitt) faz parte. Um dia, ao realizar mais um serviço corriqueiro, ele descobre que seu alvo é a versão mais velha de si mesmo (Bruce Willis), trazida em viagem no tempo por ter se tornado uma séria ameaça à máfia no futuro.

Apesar de parecer complexa e confusa, na verdade o longa carrega uma trama bem simples, apenas com alguns pontos confusos no início, mas que você entende no decorrer do mesmo.

Confesso que fui assistir o filme com grandes expectativas, e sinceramente, não me decepcionei, apesar do longa dividir opiniões, eu o achei no geral um ótimo filme, me impressionei com a originalidade que o longa traz, o que ta sendo precario em Hollywood atualmente.

O novato diretor e roterista Rian Johnson fez um bom trabalho, podendo ser um nome de peso no cinema no futuro, mas devido a pouca experiência, o diretor/roteirista pecou um pouco no desenvolvimento do longa, como a desnecessária maquiagem no Joseph Gordon-Levitt.

Os efeitos especiais são bons, e um destaque foi misturar um tema tão legal como viagens no tempo com telecinese, e não tentar explorar ao máximo o tema. Outro destaque com certeza são as atuações, em especial de Joseph Gordon-Levitt (esse cara ta me surpreendendo a cada filme que faz) e para a surpresa de todos a atuação do menino Pierce Gagnon, que simplesmente roubou a cena, ofuscando até mesmo Bruce Willis e o próprio Gordon-Levitt, que realmente parece o Bruce Willis mais novo, tanto na aparência quanto no jeito de agir, e sobre Willis, acho que ele está atuando muito no "modo automático" ultimamente, e nessse longa não foi diferente.


Uma coisa que é comum em filmes sobre Loop temporal são os paradoxos, e neste longa não é diferente, e devido a pouca experiência de Rian Johnson alguns fatos terminaram mal-explicados ao fim do filme.

Enfim, o longa é ótimo para se assistir, tem um início complicado, mas um meio simples e um final simples, o roteiro tem alguns furos, mas nada muito grave. 




AVALIAÇÃO FINAL

Bom

É um filme bastante "curtível", claro que poderia ter ficado melhor se tivesse um diretor com mais experiência (cheguei a imaginar em como ficaria este filme nas mãos de Zack Snyder por exemplo), mas até que Rian Johnson mandou bem, podendo ser um grande diretor no futuro, a atuação de Joseph Gordon-Levitt e principalmente do menino Pierce Gagnon estão incríveis, mas o que eu mais gostei foi a originalidade do filme, em uma industria cinematográfica atual que só vive de sequências, remakes e adaptações horríveis de livros horríveis, Looper foi um grande achado. Tem alguns furos no roteiro, mas no geral é um ótimo filme, pode assistir sem medo.