quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Minha Vida Injusta - Parte 12: 14 de Outubro de 2005


“A vida é como uma caixa de chocolates, você nunca sabe o que irá encontrar...” – Forrest Gump.


Aproveitei o meu tempo livre pela manhã para levar meu filho, o pequeno Jimmy até a pracinha. Eu e Luana resolvemos colocar o nome do nosso filho de Jimmy em homenagem ao meu melhor amigo. A gravidez foi bem tranquila e ele nasceu super saudável e mimado pela minha mãe e confesso que por eu mesmo também.

Hoje, com apenas 3 anos de idade, ele está muito esperto, e muito empolgado para finalmente brincar com o seu helicóptero de controle remoto que eu dei para ele no último dia das crianças. O ajudei a controlar, o helicóptero subiu bem alto.

- Nossa pai, voou altão! – Ele gritou cheio de felicidade.

Ficamos na pracinha praticamente a manhã inteira, ele não queria ir embora, o coloquei sentado em meus ombros e o levei em casa. Como a Luana trabalha, o pequeno Jimmy almoça com a minha mãe enquanto eu me arrumo para o trabalho, Luana costuma chegar após o almoço, mas não consigo encontrá-la em casa nesse horário, apenas à noite.

Assim que cheguei ao trabalho, disseram que haveria uma reunião com todo mundo, fiquei assustado, pois estava rolando um boato de que haveria um corte de funcionários, e eu gosto de trabalhar na edição desse jornal. Na reunião, o nosso chefe começou a falar.

- Então, o objetivo desta reunião é simples: Estamos passando por uma crise. Os jornalistas responsáveis pelas matérias diárias pediram demissão alegando descontentamento. – Ele deu uma pausa e bebeu um copo de água. – O plano que eu tive para manter o jornal foi o seguinte: Precisamos de algum conteúdo, então quem tiver uma ideia de conteúdo para publicação, quaisquer ideias, podem escrever e mandar para mim. Irei ler e ver quais são as melhores para publicar, a primeira publicação desse tipo começará amanhã, então sejam criativos e escrevam alguma coisa hoje e me mandem até o final do dia. E quem estiver insatisfeito com o serviço basta seguir o exemplo dos jornalistas e peçam demissão.

Percebi que o meu chefe estava bastante desesperado, mas também percebi outra coisa, aquela era a minha chance de ouro, a minha chance de começar a escrever algo e publicar, o meu primeiro passo para me tornar um escritor.

Quando a reunião acabou, corri para o meu computador e comecei a escrever, as ideias apareciam na minha cabeça, no fim, consegui escrever três contos, todos usando como fonte de inspiração o meu escritor favorito: Nelson Rodrigues.

O primeiro conto era sobre um casal até então fiel, até que ele se sente atraído por uma bela loira na empresa em que ele trabalha e acaba traindo a esposa, já esta, desconfiada do adultério e após investigar, resolve caçar o marido. No fim, ela o mata e logo em seguida comete suicído, ambos com um tiro de escopeta, e antes de morrer ela diz “agora ficaremos juntos para sempre”.

O segundo contava a história de uma virgem superprotegida por pais religiosos que tem o sonho de “conhecer o mundo”, ela começa a frequentar baladas escondida e a usar drogas, após os pais descobrirem e a renegarem, ela termina cortando os pulsos.

E por fim o terceiro conto era sobre um casal de lésbicas, porém uma delas praticava adultério com um homem em troca de dinheiro, após a sua companheira descobrir isso no flagra, corre para a rua e acaba atropelada, após isso a adúltera passou o resto de sua vida deprimida e se sentindo culpada.

Apresentei os contos para o meu chefe, ele adorou.

- Henrique, isso é genial, me escreva mais, publicarei um destes contos amanhã mesmo, se for sucesso, abrirei uma coluna no jornal apenas para você e lhe darei liberdade total para escrever. – Ele disse, era isso que eu estava querendo ouvir a anos.

Cheguei em casa muito feliz e contei a novidade para a Luana e minha mãe, elas ficaram muito felizes por mim, Luana disse que irá comprar todos os jornais da banca amanhã e fazer todos do seu emprego lerem. O pequeno Jimmy já estava dormindo, dei um beijo de boa noite nele e vim para o quarto porque o dia hoje foi bastante cansativo.

Finalmente os meus sonhos estão se realizando.

Henrique Soares, 14 de Outubro de 2005.