quinta-feira, 31 de março de 2011

Pracas Sertas

  Resolvi abrir um novo quadro aqui no blog, "Pracas Sertas" ("Placas Certas"), que de certas não tem nada. São placas com muito erro de portugues que são no minimo, engraçadas, disfrutem dessas placas erradas, ou o melhor, Pracas Sertas. (E leiam o dicionario antes de escrever qualquer placa).











Imagens postadas originalmente no site http://www.placaserradas.com.br/




quarta-feira, 30 de março de 2011

Relatos Paranormais - A Casa da Minha Bisavó

  Eu tenho hoje 27 anos, e acontecimentos como esse me perseguiram pela vida toda.

   Fui criada com a minha avó e a minha mãe numa casinha simples, ao lado do que foi uma grande mansão no passado. Era a casa da minha bisavó, à quem todos, incluindo os netos a chamavam de Mãe Lígia. O que já ouvi falar sobre ela me leva a pensar que era uma mulher de personalidade muito forte, que chegou ate a enfrentar o marido com lenha do fogão. Era uma italiana forte, que falava alto, muito bondosa com os pobres, mas também muito severa e brava.

   Cheguei a ver (quando pequena) varias vezes os olhos dela me seguirem pela sala (tem uma pintura dela e do meu bisavô num quadro).

   Mas o impressionante mesmo é que as vezes eu acordava de noite e via uma figura feminina passar pelos pés da cama em direção ao telefone que ficava à uns dois metros a minha direita, e assim que ela chegava lá desaparecia.

   Uma vez minha vó acordou de noite com barulho de gente lavando a escada da tal casa, e a escada era perto da janela do quarto onde dormíamos. Esse dia eu não cheguei a acordar, pois minha avó não gostava nem um pouco de nos assustar, mas no outro dia fiquei sabendo, ouvindo ela contando para a minha mãe na cozinha. Ouviu jogarem baldes de água na escada e passarem a vassoura, como minha avó achou que talvez fossem maconheiros na casa levantou-se e foi verificar, mas assim que minha avó abriu a porta o barulho parou e a escadaria estava seca.

   Por muitas dessas eu sempre soube que tinha alguém ou algo por lá, algumas pessoas disseram que minha bisavó era má, mas é uma contradição, já que ela brigava com meu bisavô que era contra a distribuição de comida que ela fazia para os pobres nos domingos.

   Bom, em uma visita de minhas tias à casa de minha avó, meus primos chegaram. Vieram as duas irmãs de minha mãe, cada uma com seus filhos. Eu tinha uns 10 anos. A gente passava o dia todo brincando no casarão abandonado, eu, minha irmã mais nova, minhas primas Juliana e Luciana, e meus primos Andrey e Anderson. Esse ultimo foi o responsável pelo que aconteceu naquele dia.

   Começamos a brincar de tentar acertar, com goiabinhas que apanhávamos na arvore ou pegávamos no chão, a caixa d'água vazia (que ficava em cima do casarão). Não me lembro como começamos a falar sobre a Mãe Lígia, mas o Anderson ficou falando mal dela o tempo todo, que ela tinha sido uma megera, chata, e coisas assim. Nessa hora ele conseguiu acertar a goiaba dentro da caixa d'água vazia, ouvimos o barulho e ate batemos palmas pra ele por que era muuuuuiito difícil, mas assim que ele virou as costas para a caixa d'água, a goiabinha fez o mesmo caminho de volta e bateu nas costas dele... Foi o suficiente para a gente sair de lá correndo e o assunto quase que virou um mito.

   Depois de muitos anos eu me casei com um amigo do meu primo, e um dia contei a ele o que já tinha presenciado naquela casa e mencionei esse fato. Meu marido me olhou assustado e disse que quando era menino ouviu mesmo essa historia do meu primo, mas nunca levou a serio pensando que fosse uma brincadeira, mas me vendo falar sobre o que aconteceu tantos anos depois ele ficou serio e assustado.

   Ate hoje minha avó mora na casa ao lado desse casarão abandonado. Ela me conta que as vezes sente pessoas perto dela, mas nunca disse ser minha bisavó. Mas eu sei que aquela casa é mal-assombrada....



  Patricia - MG 

terça-feira, 29 de março de 2011

Alphaville - Forever Young (Musica)

  A musica "Forever Young" da banda Alphaville é muito boa, todos ja ouviram essa musica pelo menos uma vez na vida, e a letra da musica é muito boa, então fica ai o video da musica, a letra original e traduzida, e pra quem toca violão ou guitarra, a cifra completa.



LETRA

Let's dance in style, let's dance for a while
Heaven can wait we're only watching the skies
Hoping for the best but expecting the worst
Are you going to drop the bomb or not?

Let us die young or let us live forever
We don't have the power but we never say never
Sitting in a sandpit, life is a short trip
The music's for the sad men

Can you imagine when this race is won
Turn our golden faces into the sun
Praising our leaders we're getting in tune
The music's played by the mad men

Forever young, I want to be forever young
Do you really want to live forever?
Forever, or never
Forever young, I want to be forever young
Do you really want to live forever?
Forever young

Some are like water, some are like the heat
Some are a melody and some are the beat
Sooner or later they all will be gone
Why don't they stay young

It's so hard to get old without a cause
I don't want to perish like a fading horse
Youth's like diamonds in the sun
And diamonds are forever

So many adventures couldn't happen today
So many songs we forgot to play
So many dreams swinging out of the blue
We let them come true

Forever young, I want to be forever young
Do you really want to live forever?
Forever, or never
Forever young, I want to be forever young
Do you really want to live forever?
Forever, or never

Forever young, I wanna be forever young
Do you really want to live forever?
TRADUÇÃO

Vamos dançar com elegância, vamos dançar por um instante.
O paraíso pode esperar, estamos apenas observando os céus.
Desejando o melhor, mas esperando o pior.
Você vai deixar cair a bomba ou não?

Deixem-nos morrer jovens ou deixem-nos viver eternamente.
Nós não temos o poder, mas nunca dizemos "nunca".
Sentando num fosso de areia, a vida é uma viagem curta.
A música é para os homens tristes...

Você consegue imaginar quando esta corrida estiver ganha?
Transformamos nossos rostos dourados no sol,
Louvando nossos líderes, estamos entrando em sintonia.
A música é tocada pelos homens loucos...

Eternamente jovem, eu quero ser eternamente jovem.
Você realmente quer viver eternamente?
Para sempre ou nunca
Eternamente jovem, eu quero ser eternamente jovem.
Você realmente quer viver eternamente?
Eternamente jovem

Alguns são como água, alguns são como o calor,
Alguns são uma melodia e alguns são o rítmo.
Cedo ou tarde, todos eles estarão mortos.
Por que eles não permanecem jovens?

É tão difícil ficar velho sem um motivo,
Eu não quero perecer como um cavalo moribundo.
A juventude é como diamantes ao sol,
E diamantes são para sempre...

Tantas aventuras não poderiam acontecer hoje,
Tantas canções que esquecemos de tocar,
Tantos sonhos arrumando-se de repente,
Nós vamos deixá-los tornar-se realidade.

Eternamente jovem, eu quero ser eternamente jovem.
Você realmente quer viver eternamente?
Eternamente e sempre?
Eternamente jovem, eu quero ser eternamente jovem.
Você realmente quer viver eternamente?
Eternamente jovem

Eternamente jovem, eu quero ser eternamente jovem.
Você realmente quer viver eternamente?
CIFRA

Tom: G
  
G  G/F#   Em
Let's dance in style  lets dance for a while
           C9      D/F#
Heaven can wait we're only watching the skies
               Em                     C9
Hoping for the best but expecting the worst
    D/F#
Are you going to drop the bomb or not?

G     G/F#     Em
Let us die young or let us live forever
                 C9      D/F#
We don't have the power but we never say never
  Em                 C9
Sitting in a sandpit  life is a short trip
       D/F#
The music's for the sad men

G      G/F#          Em
Can you imagine when this race is won
        C9               D/F#
Turn our golden faces into the sun
  Em      C9
Praising our leaders we're getting in tune
       D/F#
The music's played by the mad men

(refrão)
G           G/F#  Em           C9
Forever young  I want to be forever young
D/F#         Em                 C9        D/F#
do you really want to live forever  forever forever
G           G/F#  Em           C9
Forever young  I want to be forever young
D/F#         Em                 C9        D/F#
do you really want to live forever? Forever forever

(instrumental)
G  G/F#  Em  C9     D/F#  Em  C9     D/F#

G        G/F#          Em
Some are like water  some are like the heat
            C9                     D/F#
Some are a melody and some are the beat
           Em     C9
Sooner or later they all will be gone
        D/F#
why don't they stay young

G     G/F#     Em
It's so hard to get old without a cause
  C9      D/F#
I don't want to perish like a fading horse
  Em      C9
Youth's like diamonds in the sun
     D/F#
and diamonds are forever

G        G/F#        Em
So many adventures couldn't happen today
  C9                D/F#
So many songs we forgot to play
   Em     C9
So many dreams swinging out of the blue
    D/F#
We let them come true

(refrão)
G           G/F#  Em           C9
Forever young  I want to be forever young
D/F#         Em                 C9        D/F#
do you really want to live forever  forever Forever
G           G/F#  Em           C9
Forever young  I want to be forever young
D/F#         Em                 C9        D/F#
do you really want to live forever? Forever Forever

(instrumental)
G  G/F#  Em  C9     D/F#  Em  C9     D/F# (2x)

G           G/F#  Em           C9
Forever young  I want to be forever young
D/F#         Em                 C9        D/F#
do you really want to live forever  forever Forever
G           G/F#  Em           C9
Forever young  I want to be forever young
D/F#         Em                 C9        D/F#
do you really want to live forever  forever
 
(solo)
C              G           Am              F 
 
E |--------------------------|-------------------------| 
B |-8------8-----------------|---5-----5-----5---------| 
G |---9------9----7----4---7-|-----5-----5-------5-----| 
D |----(10)----10----5---5---|-7-----7-----7-------7---| 
A |--------------------------|-----------------8-----8-| 
E |--------------------------|-------------------------|
 
G                            Dm           F       Am 
 
 
E |---7--10----7--10----7-10-7--------------|---------------------|| 
B |-8-------8--------8---------8------------|-------------5---5---|| 
G |-----------------------------------------|---5-------5---5---5-|| 
D |--------------------------------7------7-|-----7---7-----------|| 
A |------------------------------5---8--5---|-8-----8-------------|| 
E |-----------------------------------------|---------------------|| 
 
 

segunda-feira, 28 de março de 2011

Jackass

O Simbolo da Série e dos filmes Jackass
  Jackass foi uma série de TV, originalmente exibida pela MTV Estadunidense desde 2000 e desde 2001 na MTV Brasileira. O programa foi idealizado por Johnny Knoxville, um dos protagonistas da série, e co-produzido por Jeff Tremaine (o diretor). Atualmente Jackass faz o mesmo que o seriado, mas em versoes de longa-metragens.


HISTÓRIA

  Em 1996, nos vídeos da revista "Big Brother Skateboard Magazine" , criado por Jeff Tremaine e Rick Kosick descobriram Johnny Knoxville , Dave England , Chris Pontius e Wee Man e dai começaram a fazer stunts para os filmes. Jeff convenceu Johnny a gravar suas idéias e outros stunts para os filmes da "Big Brother Skateboard Magazine". Johnny transformou-se rapidamente em sucesso. O "Big Brother" também estava fazendo sucesso, e depois convidaram Bam Margera para fazer parte do grupo. Além de andar de skate, Bam Margera tinha feito alguns filmes: CKY com os seus amigos.

Fim da série

  Quando o programa foi lançado, no início e término de cada episódio era apresentado um alerta em letras vermelhas que diziam para os telespectadores não repetirem o que eles faziam, mas não surtiu efeito algum. Pouco tempo depois apresentaram a versão modificada do aviso:


"Atenção: as cenas de ação ocorridas neste programa foram feitas por profissionais ou sob a supervisão de profissionais. Portanto, a MTV e os produtores insistem para que não tentem recriar ou reencenar nenhuma das atividades realizadas neste programa."

  Também não funcionou, a quantidade de fitas recebidas pela MTV foi enorme e o mundo todo exibia notícias em que relatavam acidentes sofridos por crianças e adolescentes de 11 a 18 anos, que diziam ser inspirados pelos atores do programa. A série foi alvo de vários debates na sociedade americana, que resultou no fim de Jackass, já anunciado oficialmente pela MTV em 2002, mas eles continuam fazendo muito sucesso graças aos filmes que lançaram.

  Hoje, o grupo continua junto e possui seu próprio site: www.jackassworld.com. Nele é possivel encontrar videos que são feitos pelos criadores e participantes do programa em seus ambientes de trabalho, além de vídeos com todos os quadros exibidos na série de tv e de seus programas referentes Viva La Bam e Wildboyz.

O elenco de Jackass

 
FILMES

Jackass - The Movie

Em 2002, foi feito o Jackass - The Movie, como encerramento da série. O filme reúne todos os atores da serie num tour pelo mundo. Com um orçamento de apenas $5 milhões, foi um sucesso que lhes renderam $64 milhões nos Estados Unidos, e foi número 1 nos cinemas durante seu primeiro fim de semana.
Entretanto, recebeu péssimas críticas que foram exibidas nos trailers de cinema. Por exemplo: "Um mergulho na depravação" - TORONTO STAR "Um triste comentário sobre a nossa cultura degenerada" - CHRISTIAN SOPLIGHT ON TH MOVIES "Um espetáculo nojento, repugnante, grotesco" - RICHARD ROEPER, EBERT & ROEPER

Jackass: Number two

Em 2006 fizeram um novo filme,Jackass Number Two que chegou em Fevereiro de 2007 no Brasil.

Jackass 3-D

O novo filme da série já está disponivel em Blu Ray e DVD. As grandes novidades são o uso da tecnologia 3D e alguns takes do filme filmados em câmera lenta.

domingo, 27 de março de 2011

30 coisas idiotas que você com certeza já fez alguma vez na vida

1 - Pausar a música por 1 minuto e 1 hora depois perceber que ela ainda tá pausada.

2 - Todo fim de ano, dizer que o ano passou rápido.

3 - Receber a prova, dar uma lida rápida por cima de todas as questões e pensar: FUDEU!
 
4 - Responder “Não”, quando alguém te pergunta “Tudo Bem?”, só pra ter assunto pra conversa.

5 - Sempre quando está jogando vídeo game e está numa parte muito difícil sentir coçar o braço/nariz.

6 - Falar para a mãe do meu amigo que estava sem fome, mas estava com muita fome.

7 - Apostar comigo mesmo. Ex: Tenho que atravessar esta rua em 5 segundos senão eu vou perder uma perna.

8 - Mostrar um vídeo engraçado do Youtube pra alguém e ficar olhando pra cara da pessoa pra ver se ela ta rindo.

9 – Brincar com o cronômetro, tentando parar em tempos redondos.
 
10 - Ficar empolgado na hora de comprar o material pra começar o ano, e na primeira semana não aguentar mais aula.

11 - Entrar no banheiro com a luz apagada, e quando sair, acender.

12 - Ter sempre a última folha do caderno rabiscada.

13 - Fazer um barulho com o pé/cadeira, parecer que foi um peido e continuar fazendo pra perceberem que não é o que estavam pensando.

14 - Tentar abrir a porta do carro no exato momento que ela está sendo destravada, não consegue tenta de novo e acontece a mesma coisa.

15 - Estar no meio de um sonho e saber que aquilo não é real, que é só um sonho.

16 - Tentar arrotar o alfabeto.

17 - Fazer moicano, no banho.
 
18 - Lamber os dedos sujos de Doritos.

19 - Abaixar o som do PC achando que alguém estava te chamando, e não era ninguém.

20 - Entrar na farmácia só pra se pesar.

21 - Clicar com o botão direito no emoticon do MSN só pra ver o atalho que a outra pessoa colocou.

22 - Colocar de volta a pontinha do lápis quando ele quebra.

23 - Salvar arquivos com o nome “asdasfasfdasd” por preguiça.

24 – Apagar tudo que estava escrevendo, quando vê que a outra pessoa está digitando alguma coisa no MSN.

25 - Ficar comendo milho que sobra da pipoca.

26 - Assistir o “Bestshop TV” quando não tem nada passando de mais interessante.

27 - Ficar até o final do filme no cinema para ver se tem cena extra.
 
28 - Esvaziar a lixeira do computador só pra ouvir o barulinho.

29 - Fechar a porta da geladeira devagar e ficar olhando para ver quando a luz apaga.

30 - Dar uma de DJ aumentando e diminuindo o volume do som do carro.

Vai me dizer que você nunca fez nenhuma dessas coisas? Se lembrar de outras, deixe nos comentários!

Adaptado de Geral Ligado

Voltamos com tudo

  Bem galera, nós ficamos 10 dias sem postar nada no blog, mas agora iremos voltar com as postagens normalmente, e iramos continuar com a programaçao, prometo que a frequencia de postagens do blog, finalmente agora irá voltar ao normal. =)

quarta-feira, 16 de março de 2011

Relatos Paranormais - A Casa Assombrada do Vale

  Dessa vez seria diferente, eu pensei. Mas lá estava eu, sem dinheiro, sem trabalho, no meio do nada e morando em uma casa realmente assustadora e assombrada, a ultima coisa no mundo que eu queria.

   Tudo começou quando eu decidi fazer uma nova tentativa de sair da cidade grande de uma vez por todas. Eu odeio cidades grandes, mas sempre que acabava em uma para conseguir me sustentar financeiramente. Esta é uma história, honesta e verdadeira sobre a casa assombrada onde eu fui parar. Ela era isolada do mundo e o vizinho mais próximo ficava a mais de cinco quilômetros de distância.

   Era o começo do verão e eu estava ansioso por sair da Grande São Paulo... de novo. Finalmente depois de ter procurado em todo lugar, eu consegui um emprego como técnico de uma rádio em uma cidadezinha do interior paulista. A cidade ficava a cerca de trinta quilômetros do vale quase inabitado onde eu esperava morar de novo. Eu fui para a estação de rádio assim que cheguei na pequena cidade. E depois de apresentações e ouvir o que era esperado de mim no serviço, eu fui para o meu vale favorito.

   Tudo estava um mar de rosas, pelo menos no começo. Eu tinha alguns amigos no vale de quando eu morei ali antes, então eu achei que poderia ficar com eles até arranjar um lugar meu.

   Depois de duas semanas, as coisas não estavam indo tão bem na estação de rádio. Eles tinham mudado de idéia quanto a ter um técnico período integral lá. No entanto, isso não acabou com as minhas esperanças de conseguir um bom emprego em outro lugar e conseguir ficar na região.

   Eu já tinha visto várias casa pra alugar, mas nenhuma me agradou muito. Um dia finalmente, eu vi um velho amigo (Beto) e a sua recém casada esposa. Ele também estava procurando um lugar para alugar e tinha algumas idéias que eu não tinha pensado. Tinha um lugar que ele me descreveu que parecia ser maravilhoso.

   Era uma casa de fazenda velha de dois andares, seis quartos, completa com celeiros e estábulos. A casa estava a quinze quilômetros da cidade mais próxima e para chegar bela tinha uma estrada muito pouco usada. O aluguel era de R$75 por mês. O proprietário tinha baixado o aluguel da casa em troca de reforma feita nela, segundo Beto.

   Eu estava começando a me animar, até que a sua querida esposa acrescentou que a casa era assombrada. Como era a primeira vez que eu encontrava a esposado Beto, eu não sabia o que pensar. Beto não era nem um pouco supersticioso. E julgando pelo que eu tinha ouvido falar sobre a mulher dele, ela também não era. Mesmo assim, eu resolvi ir ver a casa. Talvez ela não gostasse de casas antigas que precisassem de reforma.

   Eu consegui chegar na casa no começo da tarde. Era um verão quente e o ar fresco e as montanhas (cerra) ao longe deram um ar muito atraente à casa. Eu podia ver o celeiro e outras construções ao longo do terreno. Quando eu me aproximei da porta da frente, eu notei que a maioria da madeira estava podre e tinham caído durante os anos, deixando a varanda intransitável. Então eu lembrei que o Beto me falou para entrar pela entrada de trás da casa. Eu fui lá pra trás e entrei na cozinha, pensando como seria bom morar em uma casa de fazenda.

   Lá dentro eu fui recebido pelo som de uma torneira vazando. Eu fui para a pia e tentei, em vão, desligar a torneira. Isso só piorou as coisas, começou a sair mais água. Então eu decidi deixar isso pra lá e continuar com a minha visita. A cozinha era gigantesca (do tamanho de muita sala) com um teto bem alto, com armários grandes com porta de vidro. Depois de ter olhado a cozinha e a fria despensa com entrada do lado da cozinha, eu continuei para a sala de estar.

   A sala de estar devia ser duas vezes maior do que a cozinha, com um teto igualmente alto. Eu estava cada vez mais empolgado. Saindo da sala eu entrei em um corredor que levava para a parte da frente da casa. Do lado esquerdo do corredor tinha o único banheiro da casa. Continuando pelo corredor tinham quatro quartos, sendo que três tinha janelas que davam para a frente da casa. Dois dele tinham portas para fora da casa que davam para a varanda.

   Eu ficava cada vez mais ansioso por morar naquela casa quanto mais eu olhava ela. Tanto que eu até tinha esquecido o comentário que a esposa do Beto tinha feito.

   Depois de ter feito o tour pela parte de baixo da casa, eu subi para ver o andar de cima (a casa originalmente tinha sido construída sendo quatro quartos e o banheiro; a cozinha, a sala e a parte de cima, que pegava metade da casa, tinham sido construídos depois). A escada dava para um corredor que ia de uma ponta a outra da parte de cima da casa. Na esquerda do corredor tinha um pequeno quarto (um depósito) com material de construção e alguns restos de madeira. Para a direita tinha uma porta que dava para um quarto com porta, maçanetas, janela, lustres, tudo num estilo antigo, meio colonial. Eu estava pensando que era uma casa maravilhosa.

   Agora eu estava indo em direção do outro quarto no final do corredor, que estava com a porta fechada. Quando eu abri a porta e entrei notei que o quarto tinha sido reformado recentemente, com papel de parede e tudo.

   Então finalmente começou: Quase que imediatamente quando eu entrei no quarto, eu não me senti muito confortável. Parecia que a minha cabeça tinha parado de funcionar. Apenas a alguns momentos olhando a casa, parecia que era um sonho virando realidade. Mas no entanto, assim que eu entrei nesse quarto eu não sentia nada. Só a impressão de que tinha alguém me olhando à minha direita, que era a frente da casa. Eu virei nessa direção e notei que um buraco tinha sido cortado na parede perto do chão e estava coberto por um saco plástico preso com fita adesiva na parede. Era provavelmente a entrada para o forro da parte original da casa.

   Eu fui até o buraco, e tirei o plástico para poder olhar lá dentro. Talvez foi porque os meus olhos não estivessem ajustados com a escuridão, mas eu tive a impressão que vi um par de olhos me olhando da escuridão. Então veio os barulhos: estalos na madeira, como se alguém estivesse vindo do forro na minha direção bem devagar.

   Eu senti uma sensação estranha, mas parecia que nada estava se mexendo ali dentro, só que os olhos não estavam mais lá. Eu coloquei a cabeça á dentro e olhei de um lado para o outro, mas só via sombras da madeira da estrutura. Eu decidi que era só a minha imaginação, então coloquei o plástico de volta no lugar e me virei para ir embora. Mas eu simplesmente não conseguia me livrar da sensação de que eu estava sendo observado enquanto eu saia do quarto.

   Eu abri a porta, sai e fechei a porta atrás de mim. Enquanto eu descia a escada eu tentei esquecer aquela sensação estranha que eu senti no quarto. De novo, eu estava encantado com o lugar. Eu fui para a cozinha e sai da casa e me afastei uns trinta metros da casa e dei uma boa olhada em volta, pensando como ia ser bom morar em um lugar como aquele. Subitamente eu senti que estavam me observando de novo. EU olhei na direção de onde vinha a impressão, e era bem em uma entrada de ar que tinha na lateral da casa onde ficava o forro da parte original da casa. Eu não conseguia esquecer ignorar aquela sensação, não importa o quanto eu tentasse.

   Depois que eu voltei para a cidade, eu acabei esquecendo a parte esquisita da visita e só podia pensar na parte boa e de como eu tinha gostado do lugar. Mas eu realmente não estava muito a fim de me mudar para lá sozinho, então eu coloquei isso de lado por um tempo.

   Alguns dias depois eu recebi um telefonema avisando que o meu irmão e um amigo dele estavam vindo me visitar. Eu sabia que o meu irmão queria sair da cidade tanto quanto eu. Ele sempre falava em vir para o interior morar comigo. Quando ele chegou ele me falou que o amigo dele e ele queriam ficar comigo o verão todo. Finalmente! Era a minha chance de mudar para a casa que eu tinha visto! O meu irmão concordou em dividir o aluguel comigo depois que eu falei sobre o lugar. Nós falamos com o dono da casa e depois levamos a minha mobília (guardada em um depósito desde a minha ultima tentativa de morar na área) para a casa. Eu escolhi um dos quarto de baixo do lado do banheiro. A primeira noite foi bem calma. Depois do terceiro dia, depois de não terem encontrado emprego nenhum, meu irmão e o seu amigo me falaram que estavam indo embora de volta para a capital. Então lá estava eu, morando sozinho em uma casa gigantesca, potencialmente assombrada.

   Os barulhos geralmente aconteciam por volta de 11:00pm. No começo eu só ouvia algo arranhando as paredes. Eu pensei que poderiam ser ratos. Depois de alguns dias eu comecei a ouvir passos fortes no andar de cima. Era como se alguém estivesse arrastando algo por aquele quarto estranho no andar de cima. Eu lembro de colocar a minha orelha contra a parede para ver se o barulho vinha mesmo da casa, e realmente vinha. Como eu tinha um aparelho de som, eu simplesmente aumentava o volume o suficiente para não ouvir os passos que vinham do segundo andar. Eu geralmente ficava acordado até não poder agüentar mais de sono (geralmente entre 1:00am á 2:00am). Isso era padrão toda noite.

   Depois de várias semanas vivendo assim, eu fui falar com um amigo (Diogo) de São Paulo que também estava tentando fugir da cidade grande. Como ele estava procurando um lugar para ficar, eu ofereci um dos meus quartos. Diogo aceitou na hora. Tendo cinco quartos para escolher, ele pegou um que ficava no andar de baixo perto da escada na parte da frente da casa.

   Na manhã seguinte, Diogo me perguntou algo muito interessante, o que eu estava fazendo andando pra lá e pra cá no andar de cima na noite anterior. Eu falei que não tinha subido lá em cima na noite anterior. Ele não acreditou e falou que eu fiquei andando no quarto em cima do quarto dele. Mas eu falei que em cima do quarto dele não tinha nada, só o forro. Depois de mostrar o andar de cima eu finalmente convenci ele. Agora ele tinha chegado na mesma conclusão que eu. TInha um fantasma lá em cima. Então, do seu jeito estranho de tentar me confortar, eu acho, ele me contou uma experiência que uma outra hora conto.

   Diogo ficou na minha casa assombrada pro duas semanas, então se mandou, me deixando sozinho para ser comido pelo que quer que fosse que rastejava no segundo andar.

   Algum tempo depois eu acabei esbarrando com uma amiga na cidade. Ela me perguntou como eu estava e onde eu estava morando. QUando eu falei para ela, o seu comentário foi, "oh, aquela casa é assombrada". Então ela me contou a história da casa. Ela falou que uma família tinha se mudado para a casa a algum tempo atrás e um dos filhos do inquilino ocupou o quarto da frente do segundo andar. Ele começou a fazer seções espíritas (brincadeira do copo e coisas do gênero) lá. Muita coisa ruim começou a acontecer com a família, e depois de pouco tempo, eles acabaram se mudando. Ela falou que o estado que eles se encontravam (emocionalmente) era bem precário, eram só uma sombra do já tinham sido. Estavam cansados e deprimidos.

   Quando eu voltei para casa, eu não tinha certeza se tinha gostado de ter ouvido essa informação extra sobre a casa.

   Algumas noites depois tinha tanto barulho no andar de cima, tava uma bagunça, que parecia que o que quer que fosse que estava fazendo aquela zona toda ia descer a escada. Eu estava tão assustado que já estava fazendo planos de por qual janela pular e qual roupas levar. Nem o aparelho de som conseguia mascarar o barulho mais. No entanto, nada se materializou aquela noite.

   Se eu colocar tudo o que aconteceu comigo enquanto estava lá, ia pegar muito espaço. No entanto, teve uma noite que eu nunca vou esquecer.

   A única tomada de telefone que tinha na casa estava na sala de estar, que ficava em baixo daquele quarto. Naquela noite eu estava esperando um telefonema de alguns amigos que estavam para chegar. Eu esperei o dia inteiro pela ligação. À noite, depois das 11:00pm, os barulhos começaram eventualmente. Eu tinha me acomodado na cama para sobreviver a noite como sempre, quando o telefone começou a tocar. O som do telefone me assustou, para não dizer coisa pior. O som dele era quase inaudível devido ao barulho do quarto em cima da sala. Eu me levantei e fui para o corredor escuro e acendi a luz. Quando eu cheguei na sala de estar (onde eu sempre deixava uma luz acesa de noite) eu atendi o telefone. Realmente eram os meus amigos ligando. Eu tentei parecer calmo, mas o tempo inteiro enquanto eu estava no telefone, eu podia ouvir os passos no quarto acima de mim. A todo segundo eu esperava ver algo correndo escadaria abaixo, mas nada aconteceu. Até o meu amigo no telefone percebeu que tinha algo de errado.

   Como já era de se esperar, eu nunca consegui um emprego estável então eu fui forçado a mudar (adivinha para onde), sim, de volt apara São Paulo. Eu coloquei toda a minha mobília em um dos quartos da frente, com a permissão do dono da casa, e me mandei de lá. Depois de vários meses quando eu fui voltar para pegar as minhas coisas, eu perguntei para o atual inquilino se ele estava gostando da casa. Ele era um antigo policial da PM. Ele me falou que estava gostando da casa. Demorou um pouquinho para ele pegar confiança em mim e desabafar. Ele eventualmente me contou que numa noite ele ouviu um barulho no andar de cima e viu que evidentemente alguém tinha entrado na casa, no quarto da frente, e estava praticamente destruindo ele, embora alguém escalar uma parede lisa e entrar pela janela do segundo andar fosse quase impossível. Ele me contou que pegou a lanterna, a arma carregada e subiu para ver quem era. Assim que ele abriu a porta o barulho parou. Ele olhou o quarto vazio e inteiro, com a janela fechada e trancada por dentro. Então ele foi dar uma olhada no forro pelo buraco. Ele entrou lá dentro e foi de uma ponta a outra e não viu nada. Assim que ele voltou pro quarto e deu mais uma examinada, ele chegou na mesma conclusão que eu tinha chegado quando me mudei para lá.

   Ele então me falou que uma noite, já era tarde, ele estava vendo TV na sala, e ele e a mulher viram uma aparição, uma névoa com o formato de uma pessoa, mas nada muito definido, descer a escada, passou por eles indo na direção da frente da casa, e entrou em um dos quartos. Ele foi ver o quarto depois, mas não viu nada.

   Eu só voltei lá mais uma vez depois: dois anos mais tarde. Depois de ter falado a história para uns amigos no carro enquanto estava passando pelo vale, nós fomos para uma das cidades que tinham por lá, paramos em um supermercado para comprar comida e fomos ver a casa. Tinha acabado de escurecer. Quando nós chegamos, fomos para a porta de trás e eu vi que não tinha ninguém em casa. Uma das pessoas que estavam com a gente era uma mulher religiosa, e ela colocou a mão na porta e começou a rezar. Todos nós ouvimos quando os pratos, panelas e a mesa da cozinha começaram a vibrar e a chacoalhar. Depois foram as janela e a porta que começaram a tremer junto com o resto que já estava tremendo. Nós voltamos correndo para o carro. Quando chegamos lá tinha uma estranha substância viscosa na maçaneta do carro que não estava lá quando paramos na cidade a apenas alguns minutos. Não precisa nem dizer que eu nunca mais cheguei perto daquela casa.


  Luís - São Paulo - S.P. 

terça-feira, 15 de março de 2011

Cartão Postal

Pra que sofrer com despedida
Se quem parte não leva
Nem o sol, nem as trevas
E quem fica não se esquece tudo que sonhou
I know
Tudo é tão simples que cabe num cartão postal
E se a história é de amor
Não pode acabar mal
O adeus traz a esperança escondida
Pra que sofrer com despedida?
Se só vai quem chegou
E quem vem vai, vai partir
Você sofre, se lamenta
Depois vai dormir
Sabe
Alguém quando parte é por que outro alguém vai chegar
Num raio de lua, na esquina, no vento ou no mar
Pra que querer ensinar a vida?
Pra que sofrer?
Baby só vai quem chegou
E que vem vai partir
Você sofre, se lamenta
Depois vai dormir
Sabe
Alguém quando parte é por que outro alguém vai chegar
Num raio de lua, na esquina, no vento ou no mar
Pra que querer ensinar a vida?
Pra que sofrer com despedida?

(Musica composta por Rita Lee e Paulo Coelho)

segunda-feira, 14 de março de 2011

Joan Jett

Joan Jett
  Joan Jett, nome artístico de Joan Marie Larkin, é uma cantora, guitarrista e baixista estadunidense. Nasceu em 1958, e é uma das figuras femininas mais importantes da história do rock. Em 2003, Joan Jett foi nomeada pela Rolling Stone a 87ª melhor guitarrista de todos os tempos. Ela é uma das duas mulheres da lista, a outra é a Joni Mitchell.
  Ela é conhecida mundialmente pelo hit "I Love Rock 'n Roll", que ficou o 1º lugar da Billboard de 30 de março até 1 de maio de 1982, e também por outras músicas famosas como "Crimson and Clover", "Bad Reputation", "Do You Wanna Touch Me", "Light of Day", "Love is All Around", "I Hate Myself for Loving You" e "Everyday People".


CARREIRA E BIOGRAFIA

  Joan Jett nasceu em Wynnewood, um subúrbio de Filadélfia, Pensilvânia. Ela se mudou para Wheaton, Maryland em 1967, mas saiu do Wheaton High School aos 15 anos para seguir a carreira musical. Ela mudou-se para Los Angeles, Califórnia e passou a frequentar o Taft High School em Woodland Hills.

The Runaways

  Joan Jett foi uma das fundadoras do The Runaways juntamente com a baterista Sandy West. Micki Steele, Jackie Fox, Lita Ford, e Cherie Currie completaram a banda. Joan Jett era vocalista e guitarrista base da banda. No primeiro semestre de 2010, estreiou o filme The Runaways. Filme que conta o repertório da banda, o papel de Joan foi interpretado por Kristen Stewart.

Carreira solo

  Em 1979, Joan Jett começou a carreira solo. Ela gravou três músicas com os ex-Sex Pistols Paul Cook e Steve Jones (uma delas era uma versão cover da música "I Love Rock 'n Roll", escrita e gravada originalmente pelos The Arrows). Enquanto trabalhava no projeto em 1979, Joan Jett conheceu o compositor e produtor Kenny Laguna, que ajudou ela a compor as músicas. Eles se tornaram amigos e decidiram trabalhar juntos.
O álbum de Jett foi intitulado com o nome dela e lançado no dia 17 de maio de 1980. O álbum foi rejeitado por 23 gravadoras, então Jett e Laguna lançaram o álbum independente na gravadora deles Blackheart Records. Joan Jett se tornou a 1ª mulher a começar sua própria gravadora.

Joan Jett & the Blackhearts

  Com ajuda de Laguna, em 1980, Joan Jett formou o The Blackhearts. Em 1981, Joan Jett re-lançou o álbum Joan Jett com o nome de Bad Reputation pela Boardwalk Records. Depois de um ano de turnês e gravações, a banda lançou o seu 1º álbum chamado I Love Rock 'n Roll que foi sucesso mundial, no mesmo ano eles lançam o single com o mesmo nome do álbum, a música "I Love Rock 'n Roll" é considerada pela Billboard, a 28ª maior música de todos os tempos.


DISCOGRAFIA

Álbuns

  • 1980: Joan Jett
  • 1981: Bad Reputation
  • 1981: I Love Rock 'n Roll
  • 1983: Album
  • 1984: Glorious Results of a Misspent Youth
  • 1986: Good Music
  • 1988: Up Your Alley
  • 1990: The Hit List
  • 1991: Notorious
  • 1992: I Love Rock 'N Roll 92
  • 1994: Pure and Simple
  • 1995: Evil Stig (Gits Live)
  • 1995: 1979
  • 2004: Naked
  • 2006: Sinner

Compilações

  • 1993: Do You Wanna Touch Me?
  • 1993: Flashback
  • 1996: Great Hits
  • 1997: Fit To Be Tied
  • 1999: Fetish
  • 2003: Jett Rock

Singles

  • 1981: "Bad Reputation" - Bad Reputation
  • 1982: "I Love Rock 'n Roll" - I Love Rock 'n Roll
  • 1982: "Crimson and Clover" - I Love Rock 'n Roll
  • 1982: "Do You Wanna Touch Me" - Bad Reputation
  • 1982: "Nag" - I Love Rock 'n Roll
  • 1982: "Victim of Circumstance" - I Love Rock 'n Roll
  • 1982: "Everyday People" - Album
  • 1983: "Fake Friends" - Album
  • 1983: "The French Song" - Album
  • 1984: "I Need Someone" - Glorious Results of a Misspent Youth
  • 1984: "I Love You Love Me Love" - Glorious Results of a Misspent Youth
  • 1984: "Cherry Bomb" - Glorious Results of a Misspent Youth
  • 1986: "Good Music" - Good Music
  • 1986: "Roadrunner" - Good Music
  • 1987: "Light of Day" - trilha sonora do filme "Light of Day"
  • 1988: "I Hate Myself for Loving You" - Up Your Alley
  • 1988: "Little Liar" - Up Your Alley
  • 1990: "Dirty Deeds" - The Hit List
  • 1990: "Love Hurts" - The Hit List
  • 1990: "Have You Ever Seen the Rain?" - The Hit List
  • 1991: "Backlash" - Notorious
  • 1991: "Don't Surrender" - Notorious
  • 1991: "Treadin' Water" - Notorious
  • 1994: "I Love Rock 'n Roll" - Flashback
  • 1994: "Spinster" - Pure And Simple
  • 1994: "As I Am" - Pure And Simple
  • 1994: "Eye to Eye" - Pure And Simple
  • 1995: "Bob (Cousin O.)" - Evil Stig
  • 1996: "Love Is All Around" - Fit To Be Tied
  • 1999: "Fetish" - Fetish
  • 2002: "The Word" - Jett Rock
  • 2006: "A.C.D.C" - Sinner
  • 2006: "Change the World" - Sinner
  • 2007: "Androgynous" - Sinner

Visite o site oficial da Joan Jett

domingo, 13 de março de 2011

Voltando a ativa

  Nos ultimos dois dias nao houve postagens no blog, o motivo foi a atolaçao nos trabalhos e recebimento de e-mails.
  O blog só tem duas pessoas no controle, entao quando os dois moderadores estao atolados, o resultado é o que aconteceu.
  Ja voltamos ao normal, atualizamos o blog porque gostamos, e as coisas sao assim, não podemos fazer milagres.
  As postagens irao voltar ao normal a partir de amanha. =)

quinta-feira, 10 de março de 2011

Os Tweets mais engraçados

Eu me acabo de rir no Twitter com o que as pessoas escrevem, normalmente são besteiras tiradas da Web, mas resolvi favoritar os Tweets mais engraçados que eu achei para fazer um post. Divirtam-se...

Comprei um remédio para esquecimento. Não lembro o nome e muito menos onde ele está...

===============

Se você se acha sozinho, que ninguem dá atenção pra você... entre em uma loja de calçados.

===============

Queres partilhar comigo algo ardente, que nos vai levar para a cama, fazer-nos suar, arder e ate delirar... que tal uma gripe?

===============

Te olhei e te despi devagar. Saltei para cima de ti e movi me em cima com paixão. Te adoro... minha cama nova!

===============

Mãe, fui violentada! A mãe preocupada diz: "Ai minha filha, quando?” A filha responde: "Anteontem, ontem, hoje e acho que amanhã também..."

===============

Era a primeira vez da minha namorada, eu já tenho experiência e prometi que não ia doer. Confesso que é enorme, ela gritava! Eu a deixei cheia de sangue... mas finalmente o dente saiu!

===============

Se buzinar fizesse alguém andar, o Chacrinha apresentaria o Teleton.

===============

Quem nunca achou o palito "Vale outro picolé.", não sabe o que é felicidade.

===============

Me chama de Capitão Nascimento que eu te mostro o saco.

===============

Do que você mais gosta em mim: do meu rosto angelical ou o meu magnífico corpo? Do seu senso de humor!

===============

O maior dilema de um homem é quando uma menina feia pergunta se ela é linda.

===============

Eu digo: "Mãe, eu te amo!" Ela escuta: "Me dá dinheiro!"

===============

Reflita um pouco sobre essa palavra, que ela pode mudar a sua vida: Dinheiro!

===============

Mãe me empresta um dinheiro que hoje eu vou sair com a menina mais bonita da escola? Quanto é o programa meu filho?

===============

Minha namorada disse que eu trato ela igual um cachorro. Levei ela pra passear no parque e ela se acalmou.

===============

Sou tão sem sorte, que concorri em um sorteio que só tinham cupons meus e ainda perdi!

===============

Nossa véi, aqui na minha quebrada todo mundo fala na gíria mano, ainda bem que eu não curto essas parada!

===============

Se o mundo vai acabar mesmo em 2012, por que os bancos estão financiando em 36 meses?

===============

Não me venha com a problemática, pois eu tenho a solucionática. Dadá Maravilha

===============


Tudo que eu faço, faço com amor, inclusive o amor. Dadá Maravilha

===============

Detesto pessoas que ficam repetindo a mesma coisa, a mesma coisa, a mesma coisa, a mesma coisa...

===============

Mulher é um colírio para os olhos e um furo para o bolso.

===============


Fofoca é quando você ouve algo sobre alguém de quem não gosta.

================

Quem nunca acordo às duas da madrugada achando que já era 7 da manhã não sabe o que é felicidade.

===============


O amor não realiza suas fantasias. Isso se chama costureira de escola de samba.

===============

O que as pessoas chamam de "Traição", eu costumo chamar de "Terceirização de Carinho".

===============

Cara, não tô pegando nem gripe... Mas claro, porque gripe não se pega, se conquista!

===============

Quando fizer um texto, evite siglas desconhecidas como recomenda a A.G.O.T.

===============

Exagerar é 1 bilhão 935 milhões 727 mil e 354 vezes pior que a moderação!

===============

Coloquei TV a cabo em casa e apanhei... Não foi gato não, foi a patroa que viciou no UFC!

===============

quarta-feira, 9 de março de 2011

Relatos Paranormais - A Cabana na Floresta

"Existiriam locais sombrios ocultos escondidos em pontos isolados em nosso planeta, servindo talvez como armadilhas para pessoas desavisadas?"
O Relato a seguir é justamente sobre um desses locais!
=============================================================================
  Enquanto eu rolava na cama com a maior preguiça do mundo, eu notei que o meu amigo, Lucas, que estava passando as férias comigo na fazenda dos meus pais, não estava no quarto. Enquanto eu começava a me sentar para sair da cama, um rosto apareceu na porta do meu quarto.
"O que você quer fazer hoje?" o Lucas perguntou. "Eu estou completamente entediado."
Enquanto eu olhava para ele tentando ajustar os meus olhos para a claridade eu falei "vamos dar umas voltas com o quadriciclo". Ele olhou para mim com um sorriso que ia de orelha até orelha e falou "Beleza!"

   Enquanto colocávamos uma roupa pesada e quente, já que íamos para a floresta e era o meio do inverno, a minha mãe entrou no quarto. "Onde vocês estão indo, garotos?" "Nós vamos dar uma volta por ai."
"Bem, vocês precisam tomar café da manhã primeiro" ela insistiu.
Nós devoramos o café da manhã e fomos para a garagem onde estava o quadriciclo.

   Nós enchemos ele de gasolina e nos mandamos para a floresta. O tempo estava bem frio e a floresta tinha um leve nevoeiro. Enquanto nós dirigíamos pela trilha de terra, nós notamos que a floresta não tinha muita vida, como costumava ter.
Era muito estranho, como se alguma coisa tivesse assustado a vida selvagem.
Enquanto eu levava a gente mais para dentro da floresta, a luz ia diminuindo, ela estava ficando mais escura, mesmo sendo de manhã ainda. Então, do nada, alguma coisa caiu na frente da gente, e eu apertei o freio o mais forte que eu pude, não pegando aquilo por alguns centímetros. Era um pedaço de um galho.
"Você está bem?" o Lucas perguntou "Essa foi perto!" "Tá tudo bem comigo, mas você viu o tamanho daquele galho?" eu respondi. O Lucas deu uma risada, vendo que eu estava bem.

   Então nós seguimos caminho e continuamos a entrar cada vez mais na floresta.
A trilha estava quase sumindo, e eu nunca tinha ido tão longe antes, não tinha idéia de onde agente estava.
Então em determinado ponto vimos uma cabana velha de dois andares, que parecia estar lá a décadas.
Tinha uma varanda na frente que tinha desabado e a porta estava fechada com tábuas de madeira.
"Vamos lá Fábio, vamos dar uma olhada nela"! "Sei lá cara, isso nem parece uma cabana de verdade, parece mais um cupinzeiro!". "Que isso cara, vamos lá, a cabana ta boa, vamos dar uma olhada!".
Meio que a contragosto eu concordei e fomos na direção dela. Nós entramos pela janela e assim que eu pisei no chão fiquei surpreso com a firmeza dela. Apesar de parecer ter mais de cem anos e dar um estalo ou outro, a cabana era bem forte e sólida.

   O andar de baixo tinha duas partes. Uma parecia ser a cozinha/sala e tinha as paredes cobertas de jornal velho.
A lareira tinha desabado já fazia muito tempo, e os tijolos estavam cheios de limo.
Nós fomos para o outro cômodo, e tinha uma escada em espiral nele, com a base cortada fora, só tinha sobrado a parte de cima. "O que será que tem lá em cima?" o Lucas perguntou com uma certa curiosidade. "Sei lá".
A minha curiosidade tinha sido atiçada. "Vamos dar uma olhada!".
Eu servi de apoio para o Lucas alcançar o que tinha sobrado da escada, e assim que ele subiu ele pe puxou para que eu pudesse dar uma olhada lá em cima também.
O andar de cima era todo um quarto só. O ar era muito pesado, e era difícil respirar.
Tinha um velho colchão que parecia que tinha sido deixado para trás, e um buraco escuro na parede, grande o suficiente para alguém do nosso tamanho conseguir rastejar por ele.
De repente nós ouvimos o barulho de alguém andando no andar de baixo.
"O que foi isso?" o Lucas perguntou. "Eu acho que tem alguém aqui!".
Nós não nos movemos, imaginando o que poderia estar a espreita no lá em baixo em uma cabana abandonada no meio de uma floresta.

   Então nós dois olhamos para o buraco na parede, e sem uma palavra nós apontamos para ele.
O Lucas entrou primeiro, e depois eu.
Lá dentro era uma espécie de um quarto menor, era bem pequeno e estreito. Estava difícil de respirar lá dentro, o ar estava úmido e estava bem abafado, o que não ajudava nada com o terror que já estávamos enfrentando.
Enquanto estávamos lá sentados, começamos a ouvir sons inexplicáveis.
Primeiro ouvimos sussurros de várias pessoas no andar de baixo.
Com o tempo a voz foi ficando cada vez mais alta e mais aguda.
O Lucas e eu começamos a entrar em pânico, imaginando se sairíamos da cabana com vida.
Então começamos a ouvir os passos de novo, só que dessas vez eles estavam mais pesados e pareciam vir do quarto grande do andar de cima.

   Nesse momento a casa inteira começou a tremer, como se estivesse em um terremoto.
Nós começamos a gritar com o terror da possibilidade de alguma coisa entrar onde estávamos e nos pegar.
Mas então a casa foi parando de tremer até ficar totalmente imóvel de novo. O silêncio voltou.
A única coisa que ouvíamos eram os estalos que a casa soltava uma vez ou outra.
"Eu acho que foi embora" eu falei. "Vamos sumir daqui!".
Então eu rastejei para fora do buraco primeiro. Eu me levantei e comecei a tirar a poeira da minha roupa.
"AI MEU DEUS!!! VAMOS SAIR DAQUI!!!" o Lucas gritou. Ele voou para fora do buraco. "O que foi?" eu perguntei.
"TEM ALGUMA COISA LÁ DENTRO! EU VI!" o Lucas respondeu.
O meu corpo inteiro tremeu e eu senti todos os pelos se arrepiarem, enquanto o terror tomou conta de mim mais uma vez.
Nós dois pulamos para o andar de baixo, e assim que levantamos da queda ouvimos uma batida forte lá em cima. "Quem ta aí?" eu gritei. Só ouvimos o silêncio. Então uma figura sombria apareceu no topo da escada.
Era uma coisa grotesca que parecia ter deformidades pelo corpo inteiro.

   Depois de uns dois segundos , o Lucas e eu corremos para a janela e saímos o mais rápido possível da cabana.
Nós montamos no quadriciclo e disparamos.
Eu dei uma olhada para a velha cabana e vi uma figura escura na janela do segundo andar.
Pelo momento que eu olhei para aquela coisa, eu notei algo de estranho na expressão dela.
Parecia triste e solitária. Mas eu não pensei muito sobre isso até chegar na fazenda.

   "O que aconteceu com vocês?" a minha mãe perguntou em choque quando viu a poeira na nossa roupa.
Nós então falamos da velha cabana que tínhamos entrado para ver o que tinha dentro, mas decidimos não contar nada do que poderia ser considerado "atividade paranormal", porque talvez ela pudesse não entender.

   Até hoje o Lucas e eu falamos sobre o que aconteceu naquela manhã de sábado.
Ele me falou que quando estava sozinho no buraco, ele sentiu o que parecia ser uma mão humana pegar na perna dele.


   Eu cheguei a conclusão de que ainda existe coisas nessa terra deixada para descobrirmos e entendermos.
E o mais importante, agora eu acredito que o paranormal existe, para o bem e para o mal.
Eu ainda estou desconcertado com o que aconteceu com o Lucas e comigo naquele dia.
utras que pretendo contar, nunca foram explicadas logicamente, me deixando com certas dúvidas até hoje.


  Fábio - São Paulo - S.P. - Brasil



terça-feira, 8 de março de 2011

Frases de Auto-Ajuda #06

É nas ações que provamos o nosso amor.

===============

A angustia é o padrão da infelicidade.

===============

Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter. Paulo Coelho

===============

Se as pessoas pensassem um pouco mais na morte, não deixariam jamais de dar o telefonema que está faltando. E seriam um pouco mais loucas. Paulo Coelho

===============

O prazer de um ato de amor é como um alucinógeno: quem experimentar uma vez nunca mais viverá sem ele...
Ter alguém para, juntos, carregar o fardo da existência, é escrever uma longa história de amor, afinal, de páginas em branco é o livro da vida de quem é só!
Inácio Dantas

===============

Os nossos conhecidos podem encher as províncias, mas nossos verdadeiros amigos só podem ser poucos.
 
===============
 
O mundo a nossa volta é aquilo em que acreditamos.
 
===============
 
Deus dotou os homens de uma boca e dois ouvidos para que ele ouça o dobro do que fala.
 
===============
 
Quanto mais livres formos, mais livres tornamos aqueles que nos cercam. Paulo Coelho
 
===============
 
Sempre que possível, seja claro. Mas que sua clareza não seja o motivo para ferir os outros. Paulo Coelho
 
===============
 
Eu tenho que mudar, não o outro.
 
===============
 
Não deixe que nada te desanime, pois até um pé-na-bunda te empurra prá frente.
 
===============
 
Crise? Seja paciente. Prove que ama não pondo seu amor à prova, afinal de que vale no peito ter amor e na língua um punhal? Fale, entenda-se. Amor é união, é sentir o outro como se fosse a extensão de si mesmo! Inácio Dantas 
 
===============
 
Se você já conseguiu tudo o que planejou, é porque você não planejou o suficiente.
 
===============
 
Se você vibrar só com pensamentos positivos, suas ações consequentemente também serão positivas.
 
===============
 
A fórmula do sucesso eu ainda não sei; mas a do fracasso é contentar a todos.
 
===============
 
Se carregarmos nossos pesos o tempo todo, mais cedo ou mais tarde não seremos mais capazes de continuar, pois a carga vai se tornando cada vez mais pesada.
 
===============
 
Procure ser um homem de valor em vez de procurar ser um homem de sucesso.
 
===============
 
Não importa o que as outras pessoas falem de você, o importante é que você continue a pessoa que sempre foi. Se mudar mude para melhor. Theodore Roosevelt
 
===============
 
Acreditar em si mesmo é o mais importante. Dar valor ao que se tem, também é. Pois se você não se valorizar, nenhuma outra pessoa vai fazer isso por você. Damares Nunes
 
===============
 

segunda-feira, 7 de março de 2011

Mamonas Assassinas - Banda

 Post duplo hoje porque no ultimo dia 2 fez 15 anos da morte do grupo Mamonas Assassinas, e como eu gosto muito da banda (marcou a minha infancia), está aqui uma homenagem do "Nunca Viu".

A banda "Mamonas Assassinas"
  Mamonas Assassinas foi uma banda brasileira de rock cômico. O som era uma mistura de punk rock com influências de gêneros populares, tais como forró, sertanejo, além de heavy metal, rock progressivo, pagode e música portuguesa. A carreira da banda, com o nome de Mamonas Assassinas, durou de Julho de 1995 até 2 de março de 1996 (7 meses) e não só a morte de seus integrantes, como também o sucesso destes, foi meteórico e estrondoso. Com um único álbum de estúdio, Mamonas Assassinas, lançado em junho de 1995, o grupo acarretou a venda de mais de 3 milhões de cópias no Brasil, sendo certificado com Disco de Diamante em 1995, comprovado pela ABPD. Álbum este, que com letras bem-humoradas, como "Pelados em Santos", "Robocop Gay", "Vira-Vira", "1406" e "Mundo Animal", os levou ao sucesso estrondoso. Porém, no auge de suas carreiras, os integrantes da banda foram vítimas de um acidente aéreo fatal.


HISTÓRIA

  Em março de 1989, Sérgio Reoli, ao trabalhar na Olivetti, conhece Maurício Hinoto, irmão de Bento. Ao saber que Sérgio é baterista, Maurício decide apresentar o irmão, que toca guitarra. A partir daí, Sérgio conhece Bento e decidem criar uma banda. Na época, Samuel Reoli, irmão de Sérgio, não se interessava em música, preferindo desenhar aviões. De repente, porém, se envolveu com a música e passou a tocar o baixo elétrico com os Sérgio e Bento. Os três formaram o grupo Utopia, especializado em covers de grupos como Legião Urbana, Titãs e Rush.

  Em um show, em Julho de 1990, o público pediu para tocarem uma música dos Guns N' Roses, e como não sabiam a letra, pediram a um espectador para ajudá-los. Alecsander Alves, conhecido como Dinho, voluntariou-se para cantar e provocou grandes risadas da platéia, com sua performance escrachada, garantindo o posto de vocalista da banda. Através de Dinho, entrou o último integrante, o tecladista Júlio Rasec.

  O Utopia passou a apresentar-se na periferia de São Paulo, e lançou um disco que vendeu menos de 100 cópias. Aos poucos, os integrantes começaram a perceber que as palhaçadas e músicas de paródia eram mais bem recebidas pelo público do que os covers e as músicas sérias. Começaram introduzindo algumas parodias musicais, com receio da aceitação do público.

  Através de um show em uma boate em Guarulhos (SP), conheceram o produtor Rick Bonadio. Decidiram, então, mudar o perfil da banda, a começar pelo nome, "Mamonas Assassinas do Espaço", criado por Samuel Reoli e reduzido para "Mamonas Assassinas".

  A banda enviou uma fita demo com as músicas "Pelados em Santos", "Robocop Gay" e "Jumento Celestino" para 3 gravadoras, entre elas a Sony Music e a EMI. Rafael Ramos, amigo da banda, baterista da banda Baba Cósmica e filho do diretor artístico da EMI, João Augusto Soares, insistiu na contratação. Após assistir uma apresentação do grupo em 28 de Abril de 1995, João Augusto resolveu assinar contrato com os "Mamonas".

  Após gravar um disco produzido por Rick Bonadio (apelidado pela banda de Creuzebek), os "Mamonas" saíram em imensa turnê, apresentando-se em programas como Jô Soares Onze e Meia, Domingo Legal (ambos no SBT), Domingão do Faustão, Xuxa Park (ambos na Rede Globo) e tocando cerca de 8 vezes por semana, com apresentações em 25 dos 27 estados brasileiros e ocasionais dois shows por dia. O cachê dos "Mamonas" tornou-se um dos mais caros do país, variando entre R$50 e 70 mil, e a EMI faturou cerca de R$80 milhões com a banda. Em certo período, a banda vendia 100 mil cópias a cada dois dias.

  Os "Mamonas" preparavam uma carreira internacional, com partida para Portugal preparada para 3 de Março de 1996. Porém em 2 de Março, enquanto voltavam de um show em Brasília, o jatinho Learjet em que viajavam, prefixo LR-25D - PT-LSD, chocou-se contra a Serra da Cantareira, numa tentativa de arremeter vôo, matando todos que estavam no avião. O enterro, no dia 4 de Março, fora acompanhado por mais de 65 mil fãs.

Acidente

  A aeronave havia sido fretada com a finalidade de efetuar o transporte do grupo musical para um show no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. No dia 1º de março de 1996, transportou esse grupo de Caxias do Sul para Piracicaba, onde chegou às 15h45. No dia 2 de março de 1996, com a mesma tripulação e sete passageiros, decolou de Piracicaba, às 07h10, com destino a Guarulhos, onde pousou às 7h36.

  A tripulação permaneceu nas instalações do aeroporto, onde, às 11h02, apresentou um plano de voo para Brasília, estimando a decolagem para as 15h00. Após duas mensagens de atraso, decolaram às 16h41. O pouso em Brasília ocorreu às 17h52.

  A decolagem de Brasília, de regresso a Guarulhos, ocorreu às 21h58. O voo, no nível (FL) 410, transcorreu sem anormalidades. Na descida, cruzando o FL 230, a aeronave de prefixo PT-LSD chamou o Controle São Paulo, de quem passou a receber vetoração por radar para a aproximação final do procedimento Charlie 2, ILS da pista 09R do Aeroporto de Guarulhos (SBGR).

  A aeronave apresentou tendência de deriva à esquerda, o que obrigou o Controle São Paulo (APP-SP) a determinar novas proas para possibilitar a interceptação do localizador (final do procedimento). A interceptação ocorreu no bloqueio do marcador externo e fora dos parâmetros de uma aproximação estabilizada. Sem estabilizar na aproximação final, a aeronave prosseguiu até atingir um ponto desviado lateralmente para a esquerda da pista, com velocidade de 205Kt a 800 pés acima do terreno, quando arremeteu.

  A arremetida foi executada em contato com a torre, tendo a aeronave informado que estava em condições visuais e em curva pela esquerda, para interceptar a perna do vento. A torre orientou a aeronave para informar ingressando na perna do vento no setor sul. A aeronave informou "setor norte".

  Na perna do vento, a aeronave confirmou à Torre estar em condições visuais. Após algumas chamadas da Torre, a aeronave respondeu e foi orientada a retornar ao contato com o APP-SP para coordenação do seu tráfego com outros dois tráfegos em aproximação IFR. O PT-LSD chamou o APP-SP, o qual solicitou informar suas condições no setor. O PT-LSD confirmou estar visual no setor e solicitou "perna base alongando", sendo então orientado a manter a perna do vento, aguardando a passagem de outra aeronave em aproximação por instrumento.

  No prolongamento da perna do vento, no setor Norte, às 23h16, o PT-LSD chocou-se com obstáculos a 3.300 pés (1006 metros), no ponto de coordenadas 23º25'52"S 046º35'58"W. Em consequência do impacto, a aeronave foi destruída e todos os ocupantes faleceram no local.

Nota Adicional

  Uma operação equivocada do piloto é a versão do Departamento de Aviação Civil (DAC) para explicar o acidente com o jatinho que causou a morte dos cinco integrantes do grupo Mamonas Assassinas na noite de 2 de março de 1996, em São Paulo.

  A 10 quilômetros do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, o piloto repetia, a pedido da torre de controle, o procedimento de aterrissagem. No entanto, em vez de fazer uma curva para a direita, virou o avião Lear Jet 25, prefixo PT-LSD, para a esquerda, chocando-se com a Serra da Cantareira.

  Além dos componentes da banda, Dinho, que completaria 25 anos dali a três dias, os irmãos Samuel (que completaria 23 anos no dia 11 de março) e Sérgio, Júlio e Bento, também morreram no acidente o piloto, o co-piloto e dois assistentes dos artistas, sendo que um deles se chamava Isaque Souto (apelido Shure Lambers), primo de Dinho, que era roadie responsável pela bateria de Sérgio,e o outro era Sérgio Saturnino Porto, mas conhecido pela produção como Reco, que era chamado também de anjo da guarda dos Mamonas pois a sua função era a de segurança do grupo.

A morte trágica de seus cinco integrantes causou comoção em todo o Brasil, menos de dois anos depois da morte de Ayrton Senna em 1994. Dias após, houve um minuto de silêncio no Maracanã, antes do jogo entre Flamengo e Botafogo.


FORMAÇÃO

Membros

  • Dinho (Alexsander Alves) - vocal
  • Bento Hinoto (Alberto Hinoto) - guitarra, violão e vocal de apoio
  • Júlio Rasec (Júlio César) - teclados e vocal de apoio
  • Samuel Reoli (Samuel Reis de Oliveira) - baixo e vocal de apoio
  • Sérgio Reoli (Sérgio Reis de Oliveira) - bateria vocal de apoio

DISCOGRAFIA

Capa do único disco da Banda

Álbum de Estúdio

  • 1995: Mamonas Assassinas

Coletânea

  • 1998: Atenção, Creuzebek: A Baixaria Continua

Álbum Ao Vivo

  • 2006: Mamonas ao Vivo


VIDEOGRAFIA














  • 1996: MTV na Estrada (relançado em DVD em 2004)
  • 2002: Show Ao Vivo (Arquivo Familiar) CineArts
  • 2008: Por Toda Minha Vida - Mamonas Assassinas
  • 2009: Mamonas, o Doc
  • Mamonas, o filme (Ainda sem data de lançamento)


CURIOSIDADES


  • O vocalista Alecsander Alves, o Dinho, fazia comícios por toda a cidade de Guarulhos, especialmente para o vereador Geraldo Celestino. Dinho fazia imitações, entre outros, do ex-pugilista Maguila, de Silvio Santos e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nos anos 80, Dinho foi vencedor de um concurso de dança no Programa Silvio Santos, além de ser frequentador assíduo dos programas Matéria Prima (comandado por Serginho Groisman na TV Cultura) e Perdidos na Noite (comandado por Fausto Silva na Rede Bandeirantes). Aos 6 anos, Dinho fez parte de um coral evangélico.
  • No dia do acidente, o tecladista Júlio Rasec, após arrumar seu cabelo, revelou, em vídeo gravado por seu cabeleireiro, que sonhou com uma queda do avião na noite anterior, como uma premonição do acidente.
  • Dias antes do acidente, o baixista Samuel Reoli escreveu uma carta para a família, agradecendo a Deus e à família por tudo que ele viveu. A carta ficou guardada por meses até ser encontrada pelo pai de Samuel, que se emocionou ao encontrá-la.
  • Em 1992, quando eram o Utopia, os integrantes tentaram tocar no Estádio Paschoal Thomeo (conhecido como Thomeozão), em Guarulhos, porém foi expulsa pelo dirigente do mesmo, que considerava que a banda nunca iria fazer sucesso devido ao nome (Utopia). Em Janeiro de 1996, porém, já como Mamonas, os cinco lotaram o estádio.
  • O apelido de Dinho foi dado por sua avó, que o chamava assim por não conseguir pronunciar seu nome verdadeiro (Alecsander Alves).
  • O logotipo da banda é uma inversão da logomarca da Volkswagen, colocada de ponta-cabeça. Um veículo da empresa alemã é citado na canção "Pelados em Santos": a Volkswagen Brasília, e na canção "Lá vem o Alemão" a Volkswagen Kombi.
  • O vocalista Dinho disse em um programa da MTV que o radar do avião tinha quebrado e que tinham consertado mas quebrou outra vez.O radar foi uma das principais causas do acidente.


LEGADO

  • Os também paulistas Titãs dedicaram seu álbum Acústico MTV de 1997 aos Mamonas Assassinas. Em 1999, os Titãs regravariam o sucesso "Pelados em Santos" no álbum de covers As Dez Mais.
  • A banda paulistana 365 compôs a música "Manhã de Domingo", presente no disco "Do Outro lado do Rio" (2005), em homenagem aos Mamonas. Vale lembrar que, quando ainda se chamavam Utopia, os Mamonas abriram vários shows para o 365.
  • A Turma da Mônica fez a história "Mamonamania" pouco antes do acidente. Em outra história, Mônica conhece o grupo Azeitonas Assassinas, que toca uma versão de "Pelados em Santos": "Mina… seu jumento é da hora… mas como ele demooora…"
  • Em uma história, o Professor Pardal tenta espantar um bando de gatos tocando "Babonas Rebeldes".
  • Os Mamonas voltam do além em um episódio da Mega Liga MTV de VJs Paladinos, desenho animado da MTV Brasil, para impedir o vilão Roberto Leal.
  • A canção "Robocop Gay" foi incluída na trilha sonora da telenovela Caminhos do Coração (2007/2008), da Rede Record, como tema do personagem Danilo, interpretado por Cláudio Heinrich.
  • No dia 10 de julho de 2008 a Rede Globo exibiu o especial Por Toda Minha Vida, em homenagem ao grupo. O programa bateu o recorde de audiência do horário, com 26 pontos de média no IBOPE. O especial foi reprisado no dia 10 de Março de 2010, além de ter sido lançado em DVD pela Globo Marcas/Som Livre em 2009.
  • A torcida do Internacional fez uma paródia da música Pelados em Santos, chamada "Minha Camisa Vermelha". Posteriormente, Clube do Remo, Flamengo, Bahia e Ceará, beaseados na música do Internacional, criaram as paródias "Com a camisa azulina", , "Meu Manto Sagrado" "Xalaialaiá" e "Vai Começar a Festa", respectivamente e até a escola Mangueira, também fez essa paródia com "Manto sagrado verde e rosa. 

  Recomendo à todos que assistam ao "MTV na estrada - Mamonas Assassinas" e Ao "Por Toda A Minha Vida - Mamonas Assassinas". É facil encontrar esses programas na internet, e tem a versão online de ambos os programas no Youtube.

Chaves - Série

ATENÇÃO - O post de hoje é incrivelmente enorme, so leia se voce estiver com animo. Demorei para fazer esse post, por isso ele demorou um pouco para ser publicado, porque eu gosto muito do seriado Chaves e nao é recomendavel esse post para aqueles que nao gostam do seriado ou pra quem nao esta afim de ler, porque o post esta realmente grande.

  El Chavo del Ocho (no Brasil: Chaves), mais conhecido como El Chavo, é uma série de televisão humorística mexicana criada e estrelada por Roberto Gómez Bolaños, exibida originalmente entre 20 de junho de 1970 e janeiro de 1980. O enredo gira em torno das aventuras e atribulações de Chaves, um órfão humilde que mora dentro de um barril, e dos outros moradores de uma vila suburbana fictícia.

A turma do Chaves
  A série tem suas origens em 20 de junho de 1970, onde apareceu como um esquete do Programa Chespirito, produzido pela Televisión Independiente de México e transmitido no canal 8 do México. Em 1972, o canal transforma-se na Televisa e El Chavo se tornou uma série semanal com duração de meia hora. O programa foi cancelado em 1980, mas ainda foram produzidos curtas para o programa Chespirito até 1992

  No seu auge de popularidade durante meados da década de 1970, El Chavo, tendo 350 milhões de telespectadores em todo o mundo, foi o show mais assistido da televisão mexicana. A frequente ocorrência de expressões idiomáticas mexicanas tornou El Chavo muito difícil de traduzir para outras línguas, exceto para o português, que é muito similar ao espanhol. A música-tema da série foi "The Elephant Never Forgets", versão lúdica da As Ruínas de Atenas, de Beethoven, composta em 1967 por Jean-Jacques Perrey e Gershon Kingsley, que são pioneiros no campo da música eletrônica. No Brasil, a música-tema é a canção "Aí vem o Chaves".

  El Chavo alcançou grandes índices de popularidade em toda a América Hispânica, bem como na Espanha, Brasil, Estados Unidos, entre outros países. No Brasil, a série ainda é muito popular e tem desenvolvido um grande seguimento cult pela Geração Y.  É exibida pelo SBT desde 1984, e começou a ser exibida pelo Cartoon Network desde novembro de 2010.

  Em 2010, o programa completa 40 anos ininterruptos de exibição na televisão.

HISTÓRIA

Sinopse

  A série conta a história de um garoto órfão e muito humilde, que é conhecido simplesmente como "El Chavo" (no Brasil, "Chaves"). O garoto vive na periferia de uma grande cidade, e seu "esconderijo" é um barril localizado no pátio principal da vila de classe média baixa onde reside. Lá, ele deve conviver com os particulares moradores e vizinhos, com os quais sempre está envolvido em divertidas situações. A sitcom tem crítica social e mostra em forma de comédia a convivência com os vizinhos, satirizando atitudes dos seres-humanos com piadas rápidas e inteligentes durante cada episódio. Segundo o criador, produtor e intérprete da série (Roberto Gómez Bolaños), no livro O Diário do Chaves (lançado em 2006), o garoto havia fugido de um orfanato do qual a mãe o havia deixado bem pequeno, já que lá não se sentia feliz. Foi então que encontrou uma "vila", e uma senhora sozinha, muito idosa, o abrigou no apartamento número 8, junto a ela. Mas logo ela faleceu e Chaves teve que ser despejado, passando a viver então dentro do Barril. Mas para todos, continuava dizendo que morava no apartamento 8. Somente com o lançamento desse livro foi revelado este "enígma" da série.


Origens

  O programa começou em 1970, e a idéia surgiu em 1969, depois que seu protagonista, El Chavo (Chaves), apareceu junto com outra personagem, a Chiquinha, em um curta-metragem durante outro programa de televisão popular no México (Los Super Genios de la Mesa Cuadrada; de sua própria autoria, na "Televisión Independiente de México"). A princípio se dirigia a um público maduro, mas se mostrou extremamente bem-sucedido entre as crianças mexicanas, e então decidiu-se "redirecionar" o programa para o público em geral, sem restrições. O nome "El Chavo del Ocho" é uma referência à emissora de TV que o produzia originalmente que era no Canal 8. Depois, a emissora se uniu a uma outra formando a Televisa, e o "8" passou a ser a suposta casa do Chaves, o que cria o mistério da série, já que não se sabe onde ele realmente mora.

  Roberto Gómez Bolaños, o Chespirito, foi o criador principal e a estrela do programa. Chamou Florinda Meza García para atuar no seriado, a Dona Florinda; Chespirito e Florinda Meza Garcia iniciaram um relacionamento em 1978 (que dura até hoje). Chespirito contratou Ramón Valdés porque o havia conhecido há muitos anos; Ramon Valdés, irmão de Tin-Tan e tio de Cristian Castro, havia feito vários filmes que viu.

  Carlos Villagrán era somente um fotógrafo amigo de Rubén Aguirre e foi a uma festa feita por ele. Carlos Villagrán deu um passo para a comédia ao inflar suas bochechas além do normal, e Rubén Aguirre contou a Roberto Gómez Bolaños sobre o talento oculto de seu amigo. Carlos Villagrán foi contratado rapidamente para o programa. María Antonieta de Las Nieves era uma atriz que só havia usado a voz para dublagens e anúncios da Televisa. Ao ouvir sua voz, Roberto Gómez Bolaños pensou que era perfeita para o programa.

   Os últimos a unirem-se ao programa foram Angelines Fernández, uma antiga atriz de telenovelas, e Horácio Gómez Bolaños, o irmão de Chespirito, que nunca antes havia considerado a atuação; originalmente só ia supervisionar o programa.

  Na américa Latina a música-tema programa alcançou fama notória, bem depois de ter sido modificado por Jean-Jacques Perrey.

  O programa foi tão popular em outras partes da América Latina e entre as pessoas que falavam espanhol nos Estados Unidos, que em países como Peru, outros programas onde apareciam os atores de Chaves começaram a ser transmitidos. Na Argentina, Rubén Aguirre fez muito sucesso interpretando seu personagem em um circo, e em Porto Rico, muitas das frases de Chaves se converteram em parte do diálogo cotidiano. Nos Estados Unidos, o programa ainda é transmitido pela Galavisión.

Resumo

  A série, de 1970 á 1971 tinha apena míseros 20 minutos, mas em 1972 virou um programa de meia hora, no canal 8. Esta foi a primeira temporada. Os primeiros programas foram compostos de um sketch no início, com Dr. Chapatin, El Chómpiras, ou um dos outros personagens de Chespirito, e dois curtos episódios do personagem principal.

  Em 1973 o programa, começou a ser formado por um episódio quase meia hora precedido por um sketch estrelado pelos personagens estrelados por Chespirito como a estrutura do primeiro programa. No final as esquetes quase sumiram.

  No final da segunda temporada, Maria Antonieta de las Nieves deixou o programa para cuidar seu bebê recém-nascido. Durante os episódios da temporada de 1973, incluindo os que provavelmente foram filmados em 1972, observou-se em De Las Nieves geralmente atuava os papéis femininos e foi a primeira atriz creditada após Chespirito. Com sua ausência, Florinda Meza assumiu o papel feminino nos esquetes, e Chaves e Quico passaram a ser um grande par cômico.

  A temporada de 1974 começou com Chaves e Quico como personagens infantis, incluindo Don Ramón (Seu Madruga) como o personagem adulto carismático. Durante essa época, as cenas na sala de aula começaram a aparecer, juntamente com outros personagens infantis como o Ñoño (o filho do Sr. Barriga, aportuguesado como Nhonho) e o descontraído Godinez (personificado por Horacio Gómez Bolaños, irmão de Chespirito).

  De las Nieves que havia saído no passado, voltou para a série em 1975. Depois de Valdés e Villagrán deixarem a série, ela foi teve o maior faturamento superior após Chespirito novamente. Agora com uma hora de duração, no programa "Chespirito", De las Nieves era freqüentemente dada em terceiro lugar em faturamento atrás de Chespirito e Florinda Meza se interpretasse outro personagem além de Chiquinha, caso contrário, ela sempre tinha crédito final especial.

  Quando Carlos Villagrán deixou o programa, foi explicado que Quico tinha ido morar com sua madrinha. "Ele não agüentava mais a gentalha", Dona Florinda explicou. Pouco tempo depois, Ramón Valdés também deixou a série, Chiquinha explicou que Don Ramón (Seu Madruga) saiu do país para procurar emprego no estrangeiro, e ele não voltaria até que ele ficasse milionário. Com isso, Chespirito achou melhor em 1980 acabar com o Semanal, para fazer um programa onde a presença dos dois personagens não pesasse tanto.

Chespirito

  A partir de 1980, "Chespirito" foi ao ar novamente, com Chaves, Chapolin e algumas reformas. A estréia de Chaves neste novo programa teve riqueza em novos episódios produzidos. Além disso, em 1981, Valdés voltou para o elenco, depois de estrelar em alguns programas ao lado de Villagrán. No entanto, ele deixou novamente no final do ano.

  No final dos anos 1980 e início de 1990, o número de novos episódios começaram a diminuir, e uma vez mais, muitos dos primeiros episódios foram refeitos. Além disso, como Chespirito envelhecia, ele deixou de ser considerado apto para desempenhar o papel de um garoto de 8 anos de idade. Como resultado, a produção de Chaves foi interrompida em 1992, três anos antes do cancelamento de "Chespirito".


INFLUÊNCIA 

  Detentora do recorde de tempo no ar desde a sua criação, que soma mais de três décadas, é reprisada exaustivamente em vários canais da América Latina e conta com uma legião fiel de fãs que, graças ao caráter familiar do seriado, vão do tele-espectador médio, que se diverte só com as cenas de queda e bolo na cara, à audiência cult, apreciadora dos diálogos e que cresceu assistindo ao programa. Um dos traços mais marcantes na série inteira é o fato dos personagens, incluindo os infantis, serem representados por adultos.


No Brasil

A abertura de "Chaves" no Brasil
  No Brasil, a história do seriado começa com o nascimento da TVS, atual Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), emissora cujo proprietário é Sílvio Santos. Sem muitos recursos na época para preencher a grade de horários, Sílvio optou pela parceria com o canal mexicano Televisa. Importar atrações como telenovelas, séries e filmes da emissora era barato e trazia bons resultados. Foram trazudos muitas novelas da Televisa que foram dubladas pela Maga, em parceria com o SBT. Todas foram dubladas, e o seriado El Chavo del Ocho (mais tarde entitulado Chaves), até então desconhecido, veio junto, num lote de aproximadamente oitenta episódios, que foram dublados e apresentados a Sílvio Santos. A atração tinha reprovação dos homens de confiança de Sílvio. Contudo, ele contrariou sua equipe e exibiu o seriado como teste no programa do palhaço Bozo, em 1984, alternando com o seriado El Chapulín Colorado (Chapolin Colorado). A série se tornou um sucesso, tendo por vezes a maior audiência do SBT segundo o IBOPE, conseguindo vencer por várias vezes a Rede Globo. A partir de 1988 começou a ser exibido em horário nobre. Seu maior índice de audiência foi alcançado em 1990, atingindo 36 pontos.

  A partir de 2006, as emissoras de televisão Ulbra TV e TV Litoral tembém começaram a exibir as séries, o que causou uma enorme polêmica entre os fãs. A primeira é que o contrato com a Televisa dava o direito a só uma emissora exibir o seriado, e o SBT estava transmitindo. Outra polêmica é a da dublagem, pois se ultilizou a dublagem dos DVDs do seriado lançado pela Amazonas Filmes, o que gera reprodução de material gravado sem devida autorização e créditos.

  Em novembro de 2010 Chaves passou a ser exibido, também, no canal Cartoon Network, se tornando o primeiro canal de televisão por assinatura a exibir o seriado. A dublagem original (a mesma ultilizada pelo SBT) foi mantida, passando-se a exibir as aberturas e os créditos originais, bem como as esquetes que acompanhavam o programa. Também foram exibidos episódios até então inéditos, tais como "A pichorra", "Jogando bola","O Radinho de Quico" e "As apostas".
  
Reprises

  Desde sua chegada ao Brasil em 1984, o seriado vinha sendo reprisado, até que episódios novos apareceram em 1988. E posteriormente, em 1990 e 1992, os últimos lotes de episódios foram comprados pelo SBT. Alguns desses episódios foram exibidos apenas uma vez nessa época e/ou deixaram de ser exibidos, não voltando até os dias atuais, e são chamados de episódios perdidos. Discute-se muito no que se refere às fitas terem se perdido ou reutilizadas. Existem duas teorias principais para explicar esse fato:
  • A primeira é que, quando os episódios chegaram ao Brasil, não vinham inteiros e prontos para serem exibidos, mas sem em partes, obrigando a equipe de dubladores e editores que prepararam a série para o Brasil a montar todos os episódios. Ao final das montagens, sobravam partes de episódios e, inclusive, vinhetas de propagandas, que foram também dubladas. Foram exibidas em alguns especiais do SBT, dando a impressão de que a emissora possui esses episódios. Este detalhe também explica porque episódios como "O festival da boa vizinhança", "A venda da vila" e "Um astro cai na vila" que ainda podem ser assistidos, estão incompletos, faltando para os dois primeiros a última parte, e para o último, a primeira parte. Também é considerável o episódio "O cãozinho do Quico", composto de três partes, teve sua dublagem inicial substituída por outra, em que a terceira parte já não era mais anunciada. Entretanto, em 2007, o SBT exibiu essa terceira parte, perdida desde 1988, mas lançada em DVD pela Imagem Filmes com dublagem original e exibido de modo aparentemente ilegal pela Ulbra TV.
  • A segunda explicação é mais hipotética: quando o programa foi produzido no México, foi usada uma tecnologia de edição muito antiga: efeitos de sobreposição de imagens primitivo, áudio separado em cartucho e filme de baixa qualidade. Alguns episódios que deixaram de ser exibidos, devem ter tido problemas, como defeito no cartucho de áudio da dublagem (para isso, alguns episódios tiveram de ser redublados), ou mesmo danificações no filme (em alguns, a imagem danificada é substituída por outra do mesmo episódio, ou, muito raramente, de outros).
  • Novas temporadas de Chaves seriam adquiridas pelo SBT mais adiante. No entanto, não obtiveram o mesmo sucesso das primeiras. Uma das prováveis teorias para o fato diz que a causa está relacionada aos dubladores antigos do seriado. O dublador do personagem Chaves, Marcelo Gastaldi, faleceu em 1995. Ele, junto ao dublador de Quico, Nelson Machado, seriam responsáveis parciais pelo sucesso do seriado mexicano no Brasil, pois, como tradutores do seriado, buscaram sempre preservar o sentido e o humor das piadas originais. Além disso, de maneira original, teriam conseguido traduzir com fidelidade a maior parte das músicas compostas por Chespirito. Também transformaram a História do México em História do Brasil nos episódios de escola.
  • O programa chegou a ser retirado da programação do SBT no ano de 2003 após 19 anos no ar, mas em apenas um mês logo voltou, devido em parte ao grande número de fãs, e com uma novidade: o retorno de alguns episódios não exibidos desde 1992.
  Em 2003, Chaves foi vendido em VHS e a revista TV y Novelas começou a oferecê-los como parte de seus pacotes de assinatura. Em 2005 foi lançado pela Imagem Filmes o DVD O Melhor do Chaves, que contou com cinco episódios com a dublagem original da Maga. No mesmo ano, a distribuidora Amazonas Filmes lançou o primeiro de uma série de boxes de DVDs. São três DVDs por caixa, sendo sempre um para Chaves, outro para Chapolin e mais um para Chespirito. Os episódios, em sua maioria inéditos, foram dublados pelo Estúdio Gábia e contou com o apoio do Fã-Clube Chespirito Brasil na adaptação dos textos.

  Até o momento, oito boxes de CH e um de Kiko já foram lançados. No dia 03/05/2010, saiu na “Livraria da Folha” (integrante da “Folha On-Line”) uma matéria escrita e um áudio com o fã das séries “Chaves” e “Chapolin”. Em dez/2009, no evento "Vamos a Chilango com o Polegar Vermelho", um cinegrafista do SBT leu o folder que continha as informações sobre os episódios perdidos, e ao ler com o repórter para ver se a entrevista poderia acontecer, ele disse que a empresa SBT o demitiria se o conteúdo do folder fosse ao ar. Isso quer dizer que o assunto é proibido no SBT.

Outras emissoras

  Após o sucesso inicial na rede mexicana Televisa, o programa foi levado ao ar por diversas emissoras ao redor do planeta, em geral com foco no público de língua espanhola e portuguesa. Algumas delas são as seguintes:
  • Angola – Televisão Pública de Angola
  • Argentina – Telefe, Canal 9
  •  Austrália – Australian Boadcast Corporation (ABC)
  •  Bolívia – ATB, Bolivisión
  •  Canadá – Teletoon Retro
  • Brasil – SBT e Cartoon Network
  •  Chile – TVN (1976-1986), UCV Televisión (1988-1992) e Megavisión (1992–atualmente)
  •  Colômbia – ERM TV e Programar TV (década de 1980-1990), RTI e Canal Uno (1990-2000), Canal Caracol (2001-2004), Canal RCN (2004-atualmente)
  •  China – Nickelodeon (2008)
  • Costa Rica – Canal 11
  • Equador – Ecuavisa (década 1980-1990), Gama TV (1990-atualmente)
  • El Salvador – Canal 6
  •  Espanha – TVE 2, Popular TV
  •  Estados Unidos – Galavisión
  •  França – Canal das Estrelas Europa
  •  Guatemala – Trecevision
  • Honduras – Telecadena 7 e 4 Televicentro
  •  Itália – Rete A
  •  Japão – WOWOW
  •  México – Televisa, XEW-TV, Galavisión
  • Nicarágua – Canal 4
  •  Portugal – RTP
  •  Panamá – RPC
  • Paraguai – Telefuturo
  •  Peru – América Televisión (mais de 30 anos de transmissão até a atualidade)
  •  Porto Rico – Univisión
  • República Dominicana – Color Vison e Digital 15
  • Uruguai – Teledoce
  •  Venezuela – Radio Caracas Televisión e Venevisión

DISPUTAS JUDICIAIS

  Chespirito estabeleceu batalhas legais com os antigos atores de Chaves para evitar que usem os personagens do programa sem o seu consentimento. Essa é uma das razões pelas quais Villagrán utiliza o nome "Kiko", já que Chespirito tem direitos autorais apenas por "Quico". Também já usou o nome de Frederico, em um seriado solo.

  Em 2002, Bolaños tentou mover uma ação judicial contra a atriz María Antonieta de las Nieves, pedindo o cancelamento da licença que a atriz tinha para fazer uso da imagem da personagem Chiquinha. A atriz, após o fim do programa, ainda encarnava a personagem no circo e no teatro. Quando a atriz recebeu a ação das mãos do oficial de Justiça, tomou um susto tão grande que teve um princípio de infarto e foi internada às pressas.

  Depois que teve alta, María Antonieta entrou com um recurso e ganhou a causa, e continua fazendo uso da imagem de sua personagem. No entanto, esse incidente acabou afetando sua relação com Bolaños, pois ela nunca o perdoou por isso, e nunca mais os dois se falaram. Isso explica a ausência da personagem Chiquinha (Chilindrina) na versão animada do seriado.


PRODUÇÃO

Elenco e personagens

Ator Personagem (português e espanhol)
Roberto Gómez Bolaños Chaves/Chavo
Carlos Villagrán Quico/Quico
Frederico/Frederico
Ramón Valdés Seu Madruga/Don Ramón
Florinda Meza Dona Florinda/Doña Florinda
Pópis/Pópis
María Antonieta de las Nieves Chiquinha/Chilindrina
Dona Neves/Nieves
Edgar Vivar Senhor Barriga/Señor Barriga
Nhonho/Ñoño
Rubén Aguirre Professor Girafales/Professor Jirafales
Angelines Fernández Dona Clotilde/Doña Cleotilde
Raúl "Chato" Padilla Jaiminho/Jaimito
Rosita Bouchot
Ana Lilian de la Macorra
Verónica Fernández
Paty/Paty
Horacio Gómez Bolaños Godinez/Godínez
Olivia Leiva
Regina Torné
Maribel Fernández
Glória/Glória
José Luis Amaro Policial/Policía
Abraham Stavans Freguês do Restaurante/Cliente del Restaurant
Ricardo de Pascual Seu Furtado/Hurtado
Garçom do Restaurante
Carequinha que compra a vila
María Luisa Alcalá Malicha ou Malu/Malicha
Marta Zabaleta Elizabeth/Elizabeth
Ángel Roldan Cândida/Cândida
Janet Arceo Dona Edwiges/Doña Edviges
Germán Robles Seu Madróga/Don Róman
Pablo Rodríguez Higino/Higino
Angélica María Iara/Iara

 

TRILHA SONORA 

Brasil

  Em 1989 foi lançado um LP contendo alguns temas que tocam durante o seriado, no disco houve a participação de todo o elenco de dublagem da série e a produção musical foi de Mário Lúcio de Freitas que adaptou temas escritos originalmente por Roberto Gómez Bolaños. Apenas os temas Aí Vem o Chaves, Kiko, Chiquinha e Seu Madruga, foram criados especialmente para versão brasileira. O disco foi lançado pela Polygram, as gravações ocorreram no próprio estúdio de dublagem MAGA.
  1. Aí vem o Chaves
  2. Tchuin tchuin tchun clain
  3. Quico
  4. Conto de fadas
  5. Chiquinha
  6. Chaves, o rei da palhaçada (versão adaptada de Que Bonita Sua Roupa)
  7. Barulhos da Cidade
  8. Seu Madruga
  9. Quero viver dançando
  10. Amigos palhaços

México

  No México foram lançados dois CD's e três LP's com vários temas das séries El Chavo del Ocho, El Chapulin Colorado e do programa Chespirito, todos de autoria de Bolaños. Muitos destes temas são desconhecidos no Brasil em função dos cortes realizados em alguns episódios onde essas músicas estão presentes, no ano 2000 a Universal Music mexicana lançou um CD intitulado Así Cantamos Y Vacilamos En La Vecindad del Chavo em comemoração aos 30 anos da série e reúne várias músicas de todos os álbuns anteriores.
  1. La vecindad del Chavo
  2. Los cursis
  3. Eso, eso, eso
  4. Fíjate, fíjate, fíjate (*)
  5. Síganme los buenos
  6. Churi churin fun flais
  7. Un rinconcito especial
  8. El burro de Matías
  9. Las brujas
  10. El Chapulín Colorado
  11. Mi papi es un papi muy padre
  12. Los payasos
  13. Ay papito ponte a trabajar
  14. La carcachita
  15. Peluchín
  16. La princesa palomita
  17. Gracias a Cri Cri
  18. Si yo tuviera una mamá (*)
  19. Un año más
  20. Buenas noches vecindad
  • (*) – Compilados do LP El "Chou" de La Chilindrina.

RECEPÇÃO

Referências ao seriado

Brasil

  • No campeonato Rockgol, os apresentadores Paulo Bonfá e Marco Bianchi apelidaram dois árbitros em homenagem ao seriado: "Senhor Barriga" e "Nhonho".
  • A popularidade de Chaves levou a três paródias no site Charges.com.br: uma entrevista; uma charge em que ele canta uma paródia da canção "Tamo Aí na Atividade", da banda paulista Charlie Brown Jr.; e uma outra entrevista em que o Capitão Morrimento (sátira ao Capitão Nascimento do filme Tropa de Elite) interroga Chaves pensando ser Hugo Chávez, presidente da Venezuela.
  • No PRP (Partido Republicano Progressista), há um candidato chamado Seu Madruga, que tem a aparência idêntica a do personagem de Ramón Valdés.
  • Há um funcionário da TV Globo São Paulo apelidado de Seu Madruga, por causa da aparência idêntica a do personagem de Ramón Valdez. É presença constante em programas como o Programa do Jô e Altas Horas e, sempre que é filmado ou chamado pelo apresentador em um desses programas, costuma chorar.

Estados Unidos

  • No desenho animado "Os Simpsons" criado por Matt Groening, existe o Homem-Abelha, um homem com um forte sotaque mexicano vestido com uma roupa de abelha, com antenas do mesmo tipo das do Chapolin Colorado (clássica série tão, ou mais famosa que Chaves, produzida respectivamente, com o mesmo grupo de atores).
  • Na Revista Action Comicsde dezembro de 2004, mais precisamente, na edição nº 820, Wail of the Banshee Chapolin Colorado e o Super-homem, atuam juntos, combatendo as forças do mal. Nos trechos obtidos pelo Cultura Comic, o Chapolin não chega a dizer nada, apenas corre do perigo quando a coisa começa a ficar preta.

Audiência

  No seu auge de popularidade, Chaves, em mais de 120 países, em meados dos anos 1970, teve audiência mundial estimada em 350 milhões de telespectadores, e foi o programa mais assistido na televisão mexicana, e de todos os países onde foi exibido; por esta razão está no Guiness Book desde 2003. O seriado obteve popularidade inclusive no Brasil apesar das reprises; sempre foi um ponto forte do SBT por conseguir alavancar a audiência dos horários que estão em baixa.

 

FINAL TRÁGICO ALTERNATIVO  

  Roberto Gómez Bolaños afirmou numa visita à Lima, no Peru, em 2008, que pensou em terminar a série El Chavo del Ocho num episódio em que Chaves morreria atropelado na tentativa de salvar uma criança. Mas seu filho e sua psicóloga lhe convenceram a não lançar esse episódio, porque poderia causar danos psicológicos aos fãs mais jovens da série, podendo levá-los a se suicidarem. (Veja o post sobre o final tragico alternativo do seriado no MEDO B.)

 

CURIOSIDADES 

  • O nome original de Chaves em espanhol é "El Chavo". A palavra "chavo" é uma gíria que, no México, significa "menino", "garoto" ou "moleque". Também pode ser usada no feminino, como "chava", para se referir a uma menina. Mas como no Brasil esse termo não existia, e o nome "Chavo" soaria estranho na dublagem em português, o personagem ganhou o nome de "Chaves" na dublagem brasileira, por ser um sobrenome bastante comum. Na série original os moradores da vila sempre chamam o Chaves de "el Chavo" e nunca dizem o verdadeiro nome. Por isso, em várias cenas, quando o Quico ou a Chiquinha perguntam qual é o nome do Chaves, a resposta dele sempre é interrompida por outra pessoa que aparece falando ao mesmo tempo. Na dublagem em português, essas cenas perdem um pouco do sentido, devido à existência do nome do Chaves. Na canção "Que Bonita Vecindad" (mais tarde traduzida como "Que Bonita Sua Roupa") tem um verso em que o Chaves faz suspense quando vai dizer o seu nome, mas acaba não dizendo: "Mi nombre es… el Chavo / Toda mi ropa es un autentico remiendo". O verso foi adaptado como "Eu sou o famoso Chaves / Todos dizem que minha roupa é remendada".
  • O seriado também foi dublado em italiano, sob o nome "Il Cecco della Botte" (literalmente, "O Chaves do Barril"). O nome das personagens eram: Cecco (Chaves), Chicco (Quico), Signore Bartolomeo (Seu Madruga), Florinda (Dona Florinda), Chiquirita (Chiquinha), Prof. Cacciapalle (Professor Girafales) e La Strega del 71 (Bruxa do 71).
  • Um dos principais fatores do sucesso de "Chaves" e "Chapolin" no Brasil, foi a excelente dublagem feita pelo estúdio Maga. As vozes dos atores escolhidos para dublar os personagens ficaram perfeitas, já que é comum a perda de um pouco da comidicidade original durante este processo.
  • Em 1991, a Editora Globo publicou mais de 56 gibis do Chaves. Porém, alguns personagens apareceram diferentes: Nhonho ficou loiro (no seriado o cabelo era preto), a roupa de Dona Clotilde ficou roxa em vez de azul, e o terno preto do Quico passou a ser azul. Pópis, por sua vez, parece ser confundida com Patty. Apesar de no gibi a sobrinha de Glória ter características da sobrinha de Dona Florinda (como o vestido rosa, a boneca Serafina e o seu próprio nome), Pópis tinha o cabelo parecido com o de Patty no seriado (porém loiro). Assim como Paty no seriado, Pópis nos gibis chamava muito pela tia quando era incomodada, em vez de dizer "Conta tudo pra sua mãe". Também nos gibis, tanto o Chaves quanto o Quico se mostravam apaixonados por ela em algumas histórias.
  • No episódio "A Casa da Bruxa do 71" , Satanás é um gato ao invés de um cachorro.
  • O carro de Seu Barriga, que aparece em alguns episódios, é uma Volkswagen Brasília,modelo de fabricação brasileira mas que também foi fabricado no México.
  • No episódio "Vamos ao cinema?", uma das frases mais clássicas do seriado é dita por Chaves: "Seria melhor ter ido ver o Pelé". No original, o filme que vão assistir é ''El Chanfle'', estrelado pelo elenco do seriado e que fala justamente de futebol.
  • Em 1978, foram rodados os últimos episódios em que o Quico aparece. O último episódio que Carlos Villagrán gravou como Quico foi "Aula de primeiros socorros". A saga de Acapulco, gravada em 1977, só foi exibida em 1979. Os episódios de Acapulco foram os últimos episódios exibidos no México, com a presença do Quico. Com a canção "Boa Noite Vizinhança", tocada no último episódio de Acapulco, Quico se despediu da série. A canção não é uma espécie de homenagem de Chespirito a Villagrán, ao contrário do que muitos pensam.
  • Tangamandápio, o local onde o carteiro Jaiminho nasceu, existe de verdade e é uma pequena cidade mexicana localizada no noroeste do estado de Michoacán.
  • Seu Madruga, apesar de estar sempre desempregado, já desempenhou as mais diferentes profissões: vendedor de churros, vendedor de balões, entregador de lenha, treinador de futebol americano, fotógrafo, carpinteiro, leiteiro, professor, pintor, sapateiro, barbeiro, mecânico, lutador de boxe, vendedor de artigos usados ("velho do saco"), empresário artístico, jornaleiro, cabeleireiro e mestre de obras.
  • No episódio "Seu Madruga Leiteiro", Quico brinca com uma nave de astronauta que Chaves a confunde com uma garrafa de leite. Trata-se de um brinquedo da nave soviética Vostok I, tripulada por Yuri Gagarin, primeiro homem a ir ao espaço, em 1961.
  • No começo da série, Roberto Gomez Bolaños teve que economizar dinheiro para montar o cenário, pois a Televisa não bancava nada. Por isso o cenário era todo feito de papelão e isopor.
  • Em um episódio, Seu Madruga faz referência a uma convenção de bruxas na cidade colombiana de Bogotá, perguntando se a Dona Clotilde não havia voltado de lá. Esta convenção existiu realmente: ocorreu em 1977. A escritora brasileira Clarice Lispector participou do evento como convidada.
  • O ex-jogador Hugo Sánchez (maior ídolo do futebol mexicano) foi apelidado pela torcida de "El Chavo Del 9", em referência a série de TV. Sánchez participou das copas de 1978 na Argentina, de 1986 no México e de 1994, nos Estados Unidos.
  • Chaves mora no apartamento nº 8. Mora de favor, pois Seu Barriga não cobra aluguel para o menino não morar na rua e nem no barril. O nome da série, porém, nada tem a ver com o apartamento de Chaves, e sim pelo fato de a série ser exibida no canal 8 de televisão do México. Ainda assim, o fato passou para a série na forma do número do apartamento de Chaves.
  • O personagem Héctor Bonilla é representado por ele mesmo. Ele é um ator mexicano, de grande prestígio e sucesso por lá. Apareceu na vila no episódio "Um Astro Cai Na Vila", em que todas as mulheres (Chiquinha, Dona Clotilde e até Dona Florinda) ficaram encantadas por ele. O episódio tem duas partes, mas a primeira jamais foi exibida no Brasil.
  • Quanto à passagem para o segundo pátio, situada entre as casas da Bruxa do 71 e do Seu Madruga, há duas diferenças. Em alguns episódios (como "O Belo Adormecido"), quando a câmera direciona o outro pátio, a passagem é direta. Em outros (como "A Galinha da Vizinha é Mais Gorda do Que a Minha"), há a janela do quarto da Chiquinha, fazendo com que os personagens andassem mais para chegar a este pátio.
  • No episódio Vamos ao Cinema, Dona Florinda diz que o Quico vai morar com a madrinha rica dele. Esta desculpa foi inventada por ela, porque Carlos Villagrán já estava fora do seriado em 1979 (ano em que foi gravado o episódio).
  • O episódio em que Chiquinha vai visitar as tias em Presidente Prudente foi improvisado pela produção. Boatos da época diziam que a atriz María Antonieta de las Nieves ficou grávida e precisou se ausentar das gravações, e é possível notar em alguns episódios que a personagem aparentava uma gravidez.
  • Em 1988, Ramón Valdés morreu. Entretanto, ao contrário do que muitos acreditam, esta não foi a causa da saída de Seu Madruga da série. Ele saiu em 1979 e voltou no Programa Chespirito em 1981, fazendo poucos episódios antes de sua saída definitiva. Uns dizem que o motivo da saída de Seu Madruga foram problemas de saúde. Outros alegam que ele seguiu Carlos Villagrán, participando do programa "Ah, que Kiko!". Em resposta à saída de Ramón, Bolaños deu mais notoriedade a personagens secundários como: Dona Neves (convertida em personagem permanente para tapar a lacuna deixada por Quico e Seu Madruga, interpretada por Maria Antonieta), Jaiminho (criado para o mesmo propósito), Nhonho (interpretado por Edgar Vivar, o mesmo intérprete do Seu Barriga) e Pópis (Interpretada por Florinda Meza).
  • Um dos maiores erros da numeração das casas da vila foi a inversão de números. Normalmente, os números das casas são: 14 (Dona Florinda), 71 (Bruxa do 71, obviamente) e 72 (Seu Madruga). Em alguns episódios, como "O Dia de São Valentim" e "Vamos Ao Cinema?", o número da casa de Dona Florinda era 24, e em outros episódios chegou a ser 42. Quanto à Bruxa do 71: o número de sua casa já foi 73 e também 14 (apenas por uma cena). Finalmente, a casa de Seu Madruga chegou a ter o número 14, no episódio que o Chaves foi mordido por um cachorro. Em um episódio, era o primeiro da série, Seu Madruga morava no 14. Nessa época, Quico já teria se despedido do seriado.
  • Os atores Florinda Meza, María Antonieta de Las Nieves, Edgar Vivar, Ricardo de Pascual e Abraham Stavans ganharam personagens duplos no seriado. María Antonieta interpretou Chiquinha e Dona Neves. Florinda interpretou Dona Florinda e Pópis. Edgar interpretou Seu Barriga e Nhonho. Ricardo interpretou Senhor Furtado e Senhor Carequinha/Senhor Calvillo e o Garçom do Restaurante, e Abraham Stavans interpretou o Freguês do Restaurante e o Dono do Parque. Nota: Ricardo de Pascual e Abraham Stavans não precisavam fazer trabalhos duplicados como María Antonieta, Florinda e Edgar.
  • Uma das versões da Patty, que rivaliza com Chiquinha, foi vivida por Veronica Fernandez, filha de María Antonieta de las Nieves foi num episódio especial do programa Chespirito de 80minutos de 1987. A versão mais conhecida no Brasil da Paty foi vivida por Ana Lilian de La Macorra.
  • Com a "partida" de Seu Madruga, Dona Florinda passou a ser uma mulher mais calma. Quando estava irritada, ela descontava nas crianças da vila.
  • Os episódios da Cruz Vermelha, do Quico doente, da chegada de Dona Neves e do protesto tiveram os menores elencos: 4 atores.
  • O último episódio do restaurante, foi gravado em 1990. Da vila em 1991.
  • Na vila do Chaves, de todos os apartamentos da vila, o que foi mais ocupado era o apartamento 23, na escada. Primeiro, ocupado por Glória e Paty, que o deixaram por motivos desconhecidos. Em segundo lugar, por Dona Edwiges, a "louca da escada", que se mudou também por razões desconhecidas. Depois disso, Glória e Paty retornam aquela casa no alto das escadas (mas elas já eram outras). Depois elas foram embora. Finalmente,quando o seriado era uma esquete, foi ocupado por Jaiminho, o Carteiro, que ficou como inquilino permanente até o fim da esquete em 1992. O apartamento de Glória e Paty também teve o número 24.
  • Quico tem duas formas diferentes de escrita de seu nome (o nome verdadeiro do personagem é Frederico, o mesmo de seu pai). No episódio da venda de refrescos, seu quiosque tinha o nome "Super de Quico". No episódio "O Vendedor de Balões", Chiquinha diz a Chaves que seu pai tem um grande cliente chamado "K" "I" "K" "O".
  • O nome do Professor Girafales também tem outra forma de escrita: pode ser escrito com J (Jirafales). No episódio "Bilhetes Trocados", o nome é grafado com J, no bilhete.
  • Carlos Villagrán também interpretou Frederico, o pai de Quico. No episódio "O Despejo do Seu Madruga", em que Dona Florinda olha as fotografias, acontece um flashback em que Frederico se despede de Florinda. Percebe-se que Quico herdou os mesmos trejeitos do pai, inclusive o "cale-se, cale-se, cale-se, você me deixa louco!".
  • Com a saída da Chiquinha em 1973/1974, o Quico ganhou muito destaque. Nos fins do anos 1978, quando ele sai, aconteceu o inverso: Chiquinha passou a ocupar seu destaque.
  • No episódio O dia das crianças, no início da música, Chaves cita o Mickey Mouse da Disney. Chaves usa até as orelhinhas do ratinho no clipe. Há também outra referência ao Mickey no seriado. Em alguns episódios, a bola do Quico tem um desenho do Mickey.
  • No seriado, já foram citadas várias celebridades, mas as mais conhecidas são: Maitê Proença, Xuxa, Pelé, Dom Pedro I, Hector Bonilla (que apareceu em um episódio), Maradona, Cristóvão Colombo, Hugo Hoyama (nos DVD's), Luís Pereira,Rodolfo Rodrigueze Starsky & Hutch(é citado no episódio "O Vale de Um Milhão de Cruzeiros").
  • Mesmo levando cascudos do Seu Madruga, Chaves demonstra afeição especial por ele. Isso faz com que Chaves, carente de uma figura paterna, veja em Seu Madruga uma forma de corresponder este sentimento. No episódio "O Aniversário de Seu Madruga", Chaves mostra esta afeição defendendo Seu Madruga de Chiquinha e Quico, pensando que os dois iriam matar o homem. Ao final do episódio, o engano é esclarecido: tratava-se de um frango que Chiquinha queria preparar para o aniversário do pai. Mesmo assim, Chaves persegue Chiquinha e Quico. Além desse episódio, em um outro, onde o Quico fazia aniversário e a festa era feita na casa dele mesmo, o Chaves pegava "escondido" (na verdade, na frente do Quico e Dona Florinda) pedaços de bolo e os guardava em seu bolso. A princípio se pensa que a comida é para ele, mas ao final do episódio, ele reparte o que pegou com o Seu Madruga à noite; ambos jantam juntos, dividindo comida e refrescos na ocasião.
  • No episódio "A Catapora da Chiquinha", Seu Barriga diz a Seu Madruga que vai examinar a Chiquinha, por ter sido médico. Na vida real, o ator Edgar Vivar era médico, antes de entrar para o seriado.
  • Apesar de ter seu primeiro episódio exibido somente em 1971,o elenco começou a trabalhar junto em outros programas em 1969.
  • Maria Antonieta de Las Nieves, além de atriz, também é dubladora. No desenvolvimento do seriado, ela foi escolhida por Chespirito para fazer o papel de Chiquinha por sua belíssima voz. Ela era conhecida apenas pela voz em propagandas e vinhetas da Televisa.
  • Angelines Fernández, Germán Robles e Angélica María (que fez a Iara no episódio Aula de História) são as únicas que não nasceram no México. Angelines e Germán são de origem espanhola: ambos nasceram em Madri, na Espanha. Angélica María nasceu em Nova Orleans, nos Estados Unidos. Além disso, Angelines foi a única do elenco que nasceu na Europa, não na América do Norte.
  • Quando Seu Madruga saiu da casa de Dona Florinda para vender churros e pediu para as crianças não gozarem dele, a casa de Dona Florinda se transforma num fundo preto. Isto acontece devido a inexistência da parede ali. Motivo: Nunca se viu aquele ângulo em nenhum episódio.
  • No Chapolin, também há uma personagem chamada Dona Neves, interpretada por Maria Antonieta de Las Nieves.
  • Há uma abreviação do nome de Chiquinha. A abreviação é: Chilis, vem de Chilindrina, nome oficial da personagem em espanhol.
  • Na série a casa do Seu Madruga tem o número 72 mas no desenho o número da casa é 10.
  • No primeiro episódio, a casa da Dona Clotilde tinha o número 5 em vez de 71.
  • As BGMs (músicas de fundo que tocam durante a série) do seriado são nada menos que composições famosas de instrumentistas norte-americanos como Pete Winslow, Tony Hymas e John Charles Fiddy e não estão presentes na versão original do programa. Quando a série chegou ao Brasil, a Maga (atual Marshmallow), estúdio onde foi feita a dublagem da série, não recebeu a trilha original pronta, com as ME's e, em consequencia disso então, utilizou LPs antigos, até então engavetados, com gravações de vários artistas norte-americanos. Tal prática foi utilizada também na produção do programa no México; um dos temas de abertura da série foi The Elephants Never Forget, de autoria do compositor francês Jean Jacques Perrey.
  • Nas dublagens mais antigas, Chiquinha é chamada de Francisquinha, que é o diminutivo do seu nome, Francisca; e Seu Madruga era chamado de "Seu Ramon" referência a Don Ramon, nome original.
  • A música tema dos encontros do Professor Girafales e Dona Florinda é, originalmente, trilha sonora do filme "E o Vento Levou", e se chama "Tema de Tara".
  • A cozinha de Seu Madruga é mostrada na parte final do 2ª episódio dos Espíritos Zombeteiros.
  • A música tema do Seu Madruga (Don Ramon) na versão brasileira, muito provavelmente, teve sua melodia inspirada na música Never Say Die, do Black Sabbath. Lembrando que os temas dos personagens são exclusivos da versão brasileira e assim como as BGM's, não existem na versão original.
  • A partir 4 de agosto de 2003, o seriado deixou de ser exibido diariamente chocando e surpreendendo o Brasil inteiro. Notícias foram divulgadas em todas as revistas sobre a saída do seriado após 19 anos ininterruptos de exibição. Chaves voltou à programação no dia 1º de setembro de 2003 após muitos apelos do Brasil inteiro, e com uma novidade: a volta dos episódios perdidos com a exibição de "Chifrinhos de Nozes". Até o dia 15 de setembro de 2003, a série Chaves exibiu em quase todos os dias episódios não apresentados desde 1992.
  • El Chavo del Ocho poderá ter remake argentino em 2011.
O personagem "Chaves"


DVD's

A série foi lançada em DVD. Há 8 volumes do Chaves, Chapolin e Chespirito, e 4 de Chaves em Desenho Animado:
  • O Melhor do Chaves (Imagens Filmes)
  • O Melhor do Chaves: Foi Sem Querer Querendo (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chaves: Tinha Que Ser o Chaves! (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chaves: Isso, Isso, Isso! (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chaves: É Que Me Escapoliu (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chaves: Tá Bom, Mas Não Se Irrite (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chaves: Tudo Eu! Tudo Eu! Tudo Eu! (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chaves: O Natal do Chaves (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chaves: O Melhor das Crianças da Vila (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: Não Contavam Com Minha Astúcia! (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: Sigam-Me Os Bons! (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: Suspeitei Desde O Princípio! (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: Se Aproveitam da Minha Nobreza! (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: Palma, Palma, Não Priemos Cânico (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: Todos Os Meus Movimentos São Friamente Calculados (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: Pílulas de Polegarina, Marreta, Corneta e Anteninhas de Vinil (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chapolin Colorado: E Agora? Quem Poderá Nos Salvar? (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 1 (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 2 (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 3 (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 4 (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 5 (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 6 (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 7 (Amazonas Filmes)
  • O Melhor do Chespirito - Volume 8 (Amazonas Filmes)
  • El Chavo Animado - Vol. 1 (Televisa Home Entertaiment)
  • El Chavo Animado - Vol. 2 (Televisa Home Entertaiment)
  • El Chavo Animado - Vol. 3 (Televisa Home Entertaiment)
  • El Chavo Animado - Vol. 4 (Televisa Home Entertaiment)

SPIN-OFFS





Livros

No Brasil foram lançados cinco livros com conteúdos relacionados ao seriado:
  • Seu Madruga: Vila e Obra, segundo livro escrito por Pablo Kaschner sobre o universo CH. O "livro-homenagem", como o próprio autor descreve, apresenta dados biográficos de Ramón Valdés, ator mexicano que eternizou Seu Madruga, além de uma análise sobre o perfil do personagem. Kaschner descreve características de Seu Madruga presentes nos episódios que o apontam como uma espécie de "Macunaíma mexicano", um sujeito pícaro, que não paga os aluguéis, foge do trabalho e sempre tenta se dar bem. Além disso, o livro traz curiosidades, entrevista com dubladores, quiz, ilustrações e fotos inéditas do personagem e do seriado. Destaque para a foto em que os atores Carlos Villagrán (Quico) e Florinda Meza (Dona Florinda) aparecem de braços dados no estúdio, único registro que se tem notícia do romance entre os dois.
  • Chaves de um Sucesso, livro escrito por Pablo Kaschner. Concebido como monografia de conclusão do curso, o livro é tido pelos fãs como o mais completo sobre o assunto. Além de trazer perfis dos atores e dos personagens, curiosidades, história, quiz e exclusivas entrevistas com Roberto Gómez Bolaños (ator que interpreta o Chaves) e Edgar Vivar (Senhor Barriga), o livro aponta as "causas, motivos, razões e circunstâncias" do sucesso desses dois fenômenos da TV: Chaves e Chapolin. Lançado pela Editora Senac Rio em 2007.
  • Chaves: Foi sem Querer Querendo?, o primeiro livro a abordar a série. Possui entrevistas com fãs, atores da série, humoristas consagrados, diretores de televisão, psicanalistas e psicólogos, que explicam o sucesso da série. Entre outras curiosidades, o livro desvenda como foi a chegada das fitas ao Brasil. Escrito pelos jornalistas Luís Joly, Fernando Thuler e Paulo Franco e lançado pela Matrix Editora em 2005.
  • Chaves e Chapolin: Sigam-me os Bons! é a seqüência do primeiro livro de Joly e Thuler, também pela Matrix Editora. Lançado em 2006.
  • O Diário do Chaves, a tradução do livro "El Diario de El Chavo del Ocho", de Roberto Gómez Bolaños, o criador da série. Lançado pela Editora Suma.

Videogames

Já foram inventados alguns videogames não-oficiais baseados na série:
  • CS Chaves: Mapa para Counter-Strike 1.5 e 1.6 onde terroristas e contra-terroristas estão na vila do seriado, os contra-terroristas tem como missão resgatar os reféns sendo que os terroristas tem que tentar impedir.
  • Street Chaves: É um jogo de luta remontado do jogo de luta Street Fighter. Nesse jogo é possível escolher os principais personagens do seriado Chaves. Você pode relembrar da música da série, personagens e cenários típicos da série, desde o pátio principal da vila até o terreno baldio onde as crianças jogam futebol americano, passando pelo restaurante de Dona Florinda.
  • Super Magro World: Paródia de Super Mario World da Nintendo, mas com seu Madruga como o herói. Seu Madruga tem a missão de salvar as crianças da vila do Chaves que foram seqüestrados pelo Bowser, o inimigo do Mario que sequestrou também a Princesa Toadstool nos principais jogos do encanador. Mas você deve tomar cuidado com os inimigos ao longo do caminho. O jogo foi desenvolvido em homenagem ao ator Ramón Valdéz, e o encanador Super Mário.
  • Codename: Madruga: Jogo de arcarde no estilo Metal Gear, onde a missão do Seu Madruga é resgatar a Chiquinha.
  • Madrugacraft: Paródia do famoso jogo de estratégia Warcraft. Trata-se de um jogo focado no Seu Madruga, que tem que salvar diversos personagens para lutar com Florinda e resgatar o sagrado violão.
  • CastleChiquinha: Paródia do famoso jogo Castlevania onde a Chiquinha tem de enfrentar fantasmas e monstros na vila, o ambiente é baseado no episódio o filme de terror, todos os lugares do seriado são a noite.
  • Chapolin Colorado: Jogo baseado no Chapolin Colorado, totalmente em 3D e em português, feito pela empresa MagicTimeStudio. Lançado em novembro de 2010.

DESENHO ANIMADO

  Recentemente, foi produzido o desenho animado do Chaves, que foi exibido no Brasil pelo SBT a partir de 1 de janeiro de 2007. Até meados de 2009 já haviam ido ao ar duas temporadas, de 26 episódios cada uma, e uma terceira ainda era inédita no Brasil.

  A personagem Chiquinha não aparece, pois María Antonieta de las Nieves, a intérprete original da garota sardenta e da Dona Neves, ganhou na justiça os direitos acerca dos personagens em um processo litigioso contra Roberto Gómez Bolaños. Mas a Chiquinha arranjou três substitutos: Pópis, Nhonho e algumas vezes Quico.


REVISTA EM QUADRINHOS

  Em 1990, a Editora Globo lançou a revista em quadrinhos do Chaves, assim como a do Chapolin. As edições permaneceram até meados da década.



EPISÓDIOS PERDIDOS

  Procurando na internet, achei uma lista para DOWNLOAD de vários episódios perdidos de Chaves, Chapolin e Chespirito. Os episódios sao raros e a qualidade está excelente

  Clique aqui para baixar vários episódios raros de Chaves, Chapolin e Chespirito. (Ao clicar voce será redirecionado para um site com a lista dos episódios e as informaçoes para download.)


Fontes: Wikipedia e Chespirito BR.