sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Como Criar Roteiros Para Filmes de Comédia


Algo está me irritando no cinema nacional: Filmes de comédia. Tá certo que um novo filme de comédia de vez em quando é legal, mas ultimamente o cinema nacional só está lançando filmes de comédia, só este ano foram incontáveis filmes de comédias nacionais lançados, entre eles "Minha Mãe é uma Peça", "Até que a Sorte nos Separe", "De Pernas pro Ar 2", "Vendo ou Alugo", "Casa da Mãe Joana 2", "Mato sem Cachorro" entre muitos outros lançados e mais que ainda estão por vir, e é bom lembrar que a grande maioria desses filmes de comédias lançados esse ano são muito ruins.

Pensei um pouco e acho que percebi o motivo de o cinema nacional estar lançando incontáveis filmes de comédia, e o motivo é simples, o cinema nacional perdeu a criatividade, e para nós continuarmos tendo sempre algum filme do nosso país nas telonas, basta pegar uma fórmula de roteiro fácil, como roteiros de filmes de comédia, e repetir a mesma fórmula incontáveis vezes, já que os produtores sabem que brasileiro gosta de diversão, e que no cinema comédia é a maneira mais fácil e garantida de divertir o público, até mais que a animação, bata isso num liquidificador de ideias superficiais e pronto!

Mas será que essa "fórmula" de roteiros para filmes de comédia é realmente fácil de se fazer? Eu vou mostrar que é sim num pequeno tutorial, e se você não for tão idiota, conseguirá escrever um roteiro de um filme de comédia como um profissional. Pra seguir a fórmula dos roteiros de comédia basta seguir corretamente estes 10 passos:

1° passo - Escolher que tipo de comédia será, se vai ser apelativa, pastelão ou comédia romântica, mas independente da sua escolha coloque sempre um casal, seja como personagens principais (no caso da comédia romântica) ou não, que sejam divorciados, o importante é sempre ter um casal. Por que? Ora, simples, em algum momento a comédia tem que seguir algum fundo de romance, seja no clímax ou não, e isso fica mais fácil quando já se tem um casal.

2° passo - Criar uma historinha simples de fundo como: namorada larga namorado e depois ele vive altas aventuras para reconquistá-la, ou uma família de marido, mulher e dois filhos que precisam correr atrás de um vestido de debutante para a filha, ou um cara que procura a barriga de aluguel perfeita depois de descobrir que sua mulher não pode engravidar, entre outros exemplos (obs: perceba o fator casal mencionado no primeiro passo em todos esses exemplos). Não importa se a história criada por você seja um pouco trágica, porque você irá aliviá-la usando os próximos passos, só é importante que a história não seja muito trágica, senão pode acabar se transformando numa comédia dramática, como "Marley e Eu" por exemplo, não to falando que isso é ruim, mas para fazer comédias dramáticas é necessário muito mais do que essa fórmula de roteiro.

3° passo - Criar um personagem "diferenciado", ou seja, meio bobão, pode ser o personagem principal, o antagonista ou até mesmo qualquer um coadjuvante, o importante é ter um personagem meio bobão, não precisa ser um completo retardado mental, pode ser só um cara que fez uma merdinha que afetou tudo, e também não precisa ser um ser humano (pode ser um cachorro ou um macaco por exemplo), mas é importante que tenha esse personagem, para conseguir criar situações bizarras para puxar o fator "humor".

4° passo - Começar a criar o fator "humor", para isso você tem que começar a pensar em situações um pouco bizarras, como por exemplo, um pai abre a porta do quarto na hora em que o filho tá se masturbando, uma série de imprevistos na rua que deixam o personagem parecendo um mendigo antes de ir numa entrevista de emprego, uma jóia perdida justamente na hora em que alguém precisa dela, etc. Com base nisso, seguir os próximos três passos para criar as cenas engraçadas.

5° passo - Primeiramente para criar uma cena engraçada é necessário ter três coisas: contextualização, imprevisibilidade e vítimas. Vamos por partes, devemos começar com a contextualização, essa parte é fácil, basta criar a cena com base no 4° passo, bizarra ou não, mas fica mais fácil quando são situações bizarras, o importante é que o leitor do seu roteiro ou telespectador do seu filme entenda qual é a situação, o que está acontecendo na cena antes dela ficar engraçada.

6° passo - Imprevisibilidade, essa é a parte mais importante, pois é o que vai colocar o humor nas suas cenas, para isso use as cenas criadas anteriormente e acrescente algo que o público não está esperando, vou usar o exemplo que eu citei acima: uma série de imprevistos na rua que deixam o personagem parecendo um mendigo antes de ir numa entrevista de emprego, o cara se despede de sua mulher, sua filha, seu cachorro e seu papagaio, sai de casa para uma entrevista de emprego, ele sai muito confiante de que vai dar tudo certo, mas de repente um raio o atinge, começa uma maratona na rua onde ele estava andando pra ir pra entrevista, ele é obrigado a salvar um bebê antes de entrar no prédio etc. O importante é surpreender o público colocando coisas imprevisíveis em cima de uma cena normal onde o telespectador já criou um contexto.

7° passo - Vítimas, para toda cena engraçada é necessário ter uma ou mais de uma vítima, seja o seu personagem principal, o seu personagem bobão, o cachorro ou até mesmo o computador do personagem, o importante é ter uma vítima, usando mais uma vez o exemplo anterior, é simples identificar a vítima, é o cara que saiu pra entrevista de emprego, e é importante você sempre alternar as vítimas entre os seus personagens, para o filme não ficar muito cansativo.

8° passo - Repetir esses três passos anteriores em várias cenas diferentes no decorrer do filme, é importante para o filme inteiro ser engraçado, e não apenas uma única cena.

9° passo - Criar uma situação difícil que deixe o seu personagem principal pra baixo, esse será o gancho para o final de seu filme, como por exemplo, depois de várias cenas engraçadas e desastradas criadas pelo personagem ao longo do filme (usando como base os passos 5, 6 e 7), a sua noiva resolve não se casar com ele um dia antes da cerimônia (novamente o fator casal citado no primeiro passo) e isso o deixa arrasado, esse lance de criar um momento meio "triste" para o personagem principal é o jeito mais fácil e que melhor funciona para criar um gancho pro final feliz.

10° passo - O final feliz, que tem que ser uma cena final engraçada, usando novamente como base os passos 5, 6 e 7, só que desta vez com um desfecho feliz, vou usar o exemplo anterior, depois de ficar mal por sua esposa ter cancelado o casamento no dia anterior, o homem enlouquece e faz de tudo, tudo mesmo para reconquistá-la e pedir desculpas antes do amanhecer do dia seguinte, para fazê-la mudar de ideia sobre o casamento, para isso ele chama helicópteros, deixa mensagem de amor através de crianças pedindo doces ou travessuras na casa dela num Halloween fora de época, e invade uma emissora de televisão na hora em de um anuncio para pedir desculpas para ela, e depois dessas bizarrices, no final a garota acaba mudando de ideia e eles terminam felizes e casados, fim.

Viu como é fácil?! Agora você pode criar o seu roteiro e enviar para a Globo filmes para eles fazerem mais um filme de comédia nacional!

Abaixo eu vou deixar um vídeo meio antigo do finado vlogger Denis Lee que explica bem melhor e ainda cita exemplos dos fatores mencionados nos passos 5, 6 e 7, os fatores contextualização, imprevisibilidade e vítimas, respectivamente, também vale destacar que além da minha raiva do excesso de filmes de comédia nacionais, esse vídeo foi a minha outra fonte de inspiração para criar este post:



Obs: Fiquei muito tempo sem postar, eu sei, mas é porque a minha saúde não tá muito boa, cheguei a ficar internado no último mês e ainda não tô 100%, tô tendo que ficar em repouso absoluto por alguns dias por recomendação do médico, é por isso que eu sumi desta vez, tentarei não sumir por muito tempo novamente...